Em programa da CNN Brasil, Zezé Motta explica: “A luta do racismo não pode ser apenas a pauta dos negros”

Programa é comandando por Daniela Lima

Publicado há um mês
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta sexta-feira (25), às 22h30, o programa O Mundo Pós-Pandemia, da CNN Brasil, recebe a atriz e cantora Zezé Motta, que acumula mais de 55 filmes, 35 novelas e 14 discos gravados em 54 anos de carreira.

No programa, ela fala sobre os desafios enfrentados durante a pandemia e do luto após perder, este ano, a mãe de 85 anos, dona Maria Elazir, e o sobrinho, Luís Antonio. “O ano me trouxe duas grandes perdas, ainda preciso lidar com elas”, disse. 

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sobre o alto índice de mortes no Brasil e no mundo – decorrentes do novo coronavírus -, Zezé falou da dificuldade em absorver as perdas e reforçou a questão de igualdade entre os povos. “É muito difícil lidar com as estatísticas dos que se vão. A pandemia não nos deixa mentir: somos todos iguais”, afirmou.

Daniela Lima apresenta O Mundo Pós-Pandemia, na CNN Brasil (Reprodução)

Zezé Motta também revelou que o isolamento trouxe desafios. “Vivi o tédio, a insônia, o distanciamento dos meus filhos pela Covid. Quando percebi que tudo isso poderia resultar em depressão, busquei ajuda”, confidenciou.

A atriz, que durante a carreira sofreu com o preconceito racial e atualmente abre caminhos para novas gerações, afirmou que, no Brasil, o racismo deixou de ser velado. “Agora é escancarado”, disse. “A luta do racismo não pode ser apenas a pauta dos negros”, completou.

Apresentado por Daniela Lima e com as participações das jornalistas Lia Bock, Luciana Barreto e Débora Freitas, que especialmente substitui Thais Herédia na atração desta sexta-feira.

Especial

O Observatório da TV celebrou o talento de Zezé Motta em um vídeo especial. Assista na sequência.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais