“Em cada cena eu entregava meu coração”, declara Vanessa Giácomo sobre a Zuca de Cabocla

Atriz estreou em novelas já como protagonista, na história que o Globoplay resgata nesta quinzena

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Novela de época, embalada em canções sertanejas, que recria o ambiente rural do início do século 20, o sucesso Cabocla, exibido pela TV Globo há 17 anos, chega ao Globoplay nesta segunda-feira (12), no projeto resgate de clássicos da dramaturgia.

Cabocla marca o primeiro papel de Vanessa Giácomo, já como protagonista. “Apesar de ser um grande desafio e de dar aquele frio na barriga – como em todos os trabalhos, pois eu nunca perdi isso -, ali era uma grande oportunidade. Eu nunca temi grandes oportunidades, muito pelo contrário. Quando vejo algo difícil, desafiador, isso me instiga mais e me faz querer provar pra mim mesma do que eu sou capaz. Eu gosto do desafio. Eu tinha consciência de que era uma protagonista, mas eu não deixava isso ser meu principal foco. Independentemente de você fazer uma personagem que tem grande importância na novela, você tem que se dedicar do mesmo jeito. Em cada cena eu entregava meu coração”, relembra ela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A atriz também conta como dar vida a Zuca foi um grande aprendizado e fala da troca com os colegas de elenco: “Ela tinha uma doçura e estava descobrindo a vida. Foi junto com a fase que eu estava na minha vida pessoal. No set, eu estava cercada de grandes atores que admirava. Lembro muito bem de olhar como exemplo todos eles. Até hoje somos amigos. Ainda tenho tanta coisa para fazer como atriz, e cada trabalho me ajuda muito a construir a minha carreira”.

Livremente inspirada no romance homônimo do escritor Ribeiro Couto, a trama é ambientada no município de Vila da Mata, em 1918, e gira em torno de questões políticas, disputas por terras entre coronéis e amores proibidos. Uma primeira versão foi produzida em 1959, na TV Rio, e a TV Globo também havia produzido anteriormente a adaptação de Benedito Ruy Barbosa, em 1979, com Glória Pires como Zuca.

A novela retrata a disputa por terras entre dois coronéis, Boanerges (Tony Ramos) e Justino (Mauro Mendonça), e o romance proibido entre Zuca (Vanessa Giácomo) e Luís Jerônimo (Daniel de Oliveira). O amor entre os dois tem início quando o rapaz, filho de um rico exportador (Reginaldo Faria), é diagnosticado com tuberculose e recebe orientações médicas para viver uma vida mais tranquila, com ar puro.

A contragosto, é forçado a viajar para a cidade da Vila da Mata, onde mora seu primo, o coronel Boanerges. Logo na primeira noite, se apaixona pela jovem, então noiva de Tobias (Malvino Salvador), mas para viver o sentimento proibido, Zuca e Luís passam a enfrentar muita resistência por conta das diferenças sociais e o noivado da cabocla. 

A rivalidade entre os dois coronéis, Boanerges e Justino, é o outro tema central da trama de Benedito Ruy Barbosa. Chefe político, casado com Emerenciana (Patrícia Pillar) e pai de Belinha (Regiane Alves), Boanerges é um homem justo, contra a violência e sofre oposição do coronel conservador Justino, pai de Mariquinha (Carolina Kasting) e Neco (Danton Mello).

Justino tem uma convivência conflituosa com Neco, pois seu filho, estudante de direito, sai em defesa dos direitos trabalhistas para os trabalhadores rurais. A relação entre os dois fica ainda mais estremecida quando Neco e Belinha começam a viver um grande amor.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio