Elenco, autor e diretor falam sobre Passaporte Para Liberdade, nova série da Globo

A produção é protagonizada por Sophie Charlotte e Rodrigo Lombardi

Publicado em 11/12/2021 12:55
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na saga de Aracy de Carvalho, que será retratada na minissérie Passaporte Para Liberdade, há uma mensagem extremamente atual sobre o poder da empatia. Essa é a reflexão que embasou grande parte dos relatos do autor Mario Teixeira, do diretor artístico Jayme Monjardim e dos atores Sophie Charlotte, Rodrigo Lombardi, Peter Ketnath e Gabi Petry, ao destacarem os diferenciais da produção.

Eles se reuniram na manhã desta sexta-feira, dia 10, em uma coletiva de imprensa virtual de lançamento da minissérie. Baseada em uma história real, esta é a primeira produção da Globo em parceria com a Sony Pictures Television. Filmada completamente em inglês, a superprodução tem sua estreia mundial na TV Globo, em versão dublada, a partir do dia 20 de dezembro, como parte dos especiais de fim de ano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Responsável por viver Aracy de Carvalho, Sophie Charlotte enalteceu a saga – pouco conhecida – da brasileira que fez a diferença para muitos judeus durante a Segunda Guerra Mundial. “Essa jornada da Aracy é muito poderosa. Vivê-la em cena me despertou para a importância de se ter coragem na vida, de agir pelo coração, seguir adiante sem temer, não deixar o medo tomar conta. Essa coragem virou um grande lema na minha jornada. Acho que essa série é um convite à ação. A gente pode ter um discurso lindo e não fazer nada, ou ser absolutamente reservado e transformar a vida das pessoas – que foi o caso da Aracy. Espero que as pessoas despertem para esse olhar de empatia, de estender a mão. Abrir o coração para escutar e receber o outro”, declara a protagonista.

O futuro escritor João Guimarães Rosa, à época cônsul-adjunto do Brasil em Hamburgo, na Alemanha, é interpretado por Rodrigo Lombardi. O ator falou sobre a grandiosidade da obra: “O João Guimarães Rosa que conheceu essa guerreira era ‘só um cara’. Que, apaixonado por tudo que era apaixonado, chega [depois, ao Brasil] e se torna depois um dos maiores autores de todos os tempos. É impossível acreditar que ele tenha escrito tudo o que escreveu sem se lembrar do que viveu na Segunda Guerra. É de uma riqueza tamanha essa história”.

Passaporte para Liberdade mostra parte da vida de Aracy e João, que se conhecem na cidade alemã de Hamburgo e embarcam em uma história de amor movida pelo altruísmo e resgate ao próximo. “Tive a ajuda da roteirista inglesa Rachel Anthony para contar a história dessa mulher tão importante. Ela, que era conhecida como a viúva do Guimarães Rosa, passa a ter uma voz. Os atos dela transcenderam o trabalho de funcionária e se transformaram em uma saga humanitária. Espero que, a partir de hoje, Aracy passe a ser conhecida pelo seu próprio nome”, ressaltou o autor Mario Teixeira.

Jayme Monjardim contou, emocionado, sobre a missão de filmar a história de Aracy: “Sempre digo que as histórias procuram seus contadores. Fico feliz de ter sido escolhido para contar histórias femininas tão importantes ao longo da minha carreira. A minissérie estrear nesse mês de dezembro nos faz pensar como é bom mostrar o exemplo de alguém que fez algo pelos outros sem pedir nada em troca. Estamos em um momento de reflexão muito grande e essa história chega com esta mensagem: ‘olha quantas coisas podem estar acontecendo ao nosso lado e a gente não sabe’”, complementou o diretor artístico.

Ele destacou ainda os desafios que enfrentou com a produção ao longo da pandemia. “Foram três anos envolvidos neste trabalho. Começamos na Argentina, em Buenos Aires, viemos para o Rio de Janeiro, nos Estúdios Globo, tivemos que parar por um ano e trabalhamos mais um ano (para finalizar as filmagens)”, enumerou. “A gente não imaginava, por exemplo, conseguir fazer a destruição da Noite dos Cristais com 12 pessoas. Temos que agradecer à tecnologia, pois conseguimos resolver muita coisa com a computação gráfica. Foi difícil, mas me sinto muito feliz com o resultado”, finalizou.

Além de destacar o exemplo de Aracy de Carvalho, o elenco falou sobre a construção de seus personagens. O ator alemão Peter Ketnath vive o capitão das tropas de Hitler, Thomas Zumkle. O nazista se apaixona por Aracy e, possessivo, faz de tudo para tirar João de cena e conquistar a brasileira. Fluente em inglês e português, Peter falou sobre sua primeira minissérie no Brasil: “Eu quis desenhá-lo como ser humano, e não como um ‘malvado’. Ele se apaixona, tenta sobreviver e vive uma situação difícil até mesmo para ele. Eu, pessoalmente, curto muito atuar em outros idiomas”.

Em busca de seu grande sonho, a judia Taibele Bashevis vive às margens do perigo. Cantora de um cabaré frequentado por soldados da SS, ela precisou mudar de nome para passar despercebida pelos nazistas. Gabi Petry, em sua estreia como atriz na Globo, é a responsável por interpretar Vivi Landau, nome adotado pela personagem. “Criamos uma mulher forte, determinada, que contraria seus princípios familiares e vai à luta pelo que quer, que é ser cantora de cabaré. Foi um presente interpretar em inglês. Tenho uma grande proximidade com a língua, mas criar o sotaque em cima disso foi o mais complexo nesse processo”, explicou.

Conheça a trama de Passaporte Para Liberdade

Aracy de Carvalho (Sophie Charlotte): uma mulher forte, determinada e, acima de tudo, justa. À primeira vista, ela passaria despercebida à maioria dos olhos. Em 1935, a brasileira, divorciada de seu primeiro marido e com um filho pequeno, Eduardo Carvalho, vai para a Alemanha em busca de trabalho e consegue um cargo no consulado brasileiro em Hamburgo, no setor de passaportes. Foi ali que ela conseguiu salvar muitos judeus da prisão e do Holocausto ao facilitar a emissão de vistos para o Brasil – ignorando restrições e driblando empecilhos.

A história se desenvolve a partir da convocação de João Guimarães Rosa (Rodrigo Lombardi) para ocupar o cargo de cônsul-adjunto do Brasil em Hamburgo. Logo em seu primeiro dia de trabalho na nova cidade, o brasileiro recém-chegado conhece Aracy (Sophie Charlotte) – e se encanta por ela na mesma velocidade. Com o passar dos dias, João percebe que a funcionária do consulado escondia algo. Se encontrando com judeus às escondidas e sempre acompanhada de Hardner (Stefan Weinert), seu cúmplice e melhor amigo, Aracy é questionada e acaba explicando todo o seu esquema para João. Ele chega a hesitar, mas logo se convence de que era o justo a ser feito.

A beleza e a simplicidade de Aracy chamam a atenção não só do cônsul-adjunto, que passa a se tornar seu aliado no amor e na missão solidária, mas também de um importante capitão da SS, a tropa de elite de Hitler. Não tardou para que o nazista Thomas Zumkle (Peter Ketnath) ficasse obcecado por descobrir o segredo dela, apesar do caso amoroso com Vivi (Gabi Petry), a bela cantora do Cabaré Babel. Encantado e curioso, Zumkle começa a seguir cada passo da funcionária do consulado, e suas frequentes investidas, além de incomodarem Aracy, passam a colocar em risco toda a ajuda que ela oferecia aos judeus.

Elenco

O elenco escolhido para compor ‘Passaporte Para Liberdade’ é marcado pela diversidade de nacionalidades. A minissérie, que é a primeira produção da Globo em parceria com a Sony Pictures Television, apostou na mistura de talentos brasileiros e internacionais. Além de Sophie Charlotte e Rodrigo Lombardi, que dão vida a Aracy de Carvalho e João Guimarães Rosa, estão na produção os atores Tarcísio Filho, como o cônsul Souza Ribeiro; Gabriela Petry, como a cantora de cabaré Vivi Landau, de família judia; João Cortês, como Wilfried Shwartz, soldado nazista; Bruce Gomlevsky como Hugo Levy, um dos judeus que recebe ajuda de Aracy; e Jimmy London como Mendel Krik, chefe da máfia judaica do porto de Hamburgo.

Entre os talentos internacionais, se destacam os alemães Peter Ketnath e Stefan Winert, que dão vida ao capitão das tropas SS Thomas Zumkle e ao amigo e confidente de Aracy, Milton Hardner, respectivamente; o britânico Thomas Sinclair Spencer, que interpreta o facínora soldado nazista Karl Schaffer; a atriz israelense Sivan Mast que interpreta Helena Krik, jovem da resistência contra Hitler que se apaixona pelo judeu Rudi Katz, vivido pelo italiano Jacopo Garfagnolli; além da polonesa Izabela Gwizdak, que na trama é Margarethe Levy, esposa de Hugo (Bruce Gomlevsky), uma das pessoas que recebe a ajuda de Aracy e acaba se tornando sua melhor amiga; e o americano Brian Townes, que vive o nazista Comandante Heinz.

Passaporte Para Liberdade é a primeira produção da Globo em parceria com a Sony Pictures Televison. A minissérie tem criação de Mario Teixeira, foi escrita por Mario Teixeira e Rachel Anthony, com direção artística de Jayme Monjardim, direção de Seani Soares e produção de Samantha Santos, Mariana Pinheiro e Fabiana Moreno. A produção executiva é de Silvio de Abreu, Monica Albuquerque, Elisabetta Zenatti e Rachel Anthony.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio