“Ele teve preconceito comigo”, revela João Kléber sobre Serginho Groisman

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O apresentador do Você na TV, João Kléber foi o convidado do quadro Para Quem Você Tira o Chapéu no Programa Raul Gil exibido neste sábado (05). Polêmico e sem papas na língua, ele começou dizendo que não tiraria o chapéu para um grande apresentador, e se explicou antes mesmo de revelar de quem se tratava: “Colega é uma coisa, amigo é outra. As meninas não vão gostar muito não! Raul, você é uma pessoa que não precisa provar nada para ninguém e já está na história da TV brasileira, isso aí é chover no molhado, mas você independe da emissora que esteja para ser quem é. Em qualquer emissora, você leva o público e bomba igual, o ibope está aí para provar”.

Raul Gil então comentou que nos tempos em que foi contratado pela Band, chegou a ter números expressivos de audiência: “Cheguei a dar pico de 12 pontos quando estava na Bandeirantes aos domingos. Quem dá isso hoje dia na Bandeirantes?”, perguntou. João Kléber então revelou que não tiraria o chapéu para o apresentador do Altas Horas, Serginho Groisman: “O Serginho trabalhou muito tempo aqui no SBT, então o programa dele era exibido à tarde (Programa Livre) e várias vezes ele me chamou para fazer participações de humor, quase sempre com o Ary Toledo, e sempre foi carinhoso e solícito comigo. Sempre nos tratamos bem, com educação, inclusive ele me ligava pessoalmente para me convidar”, iniciou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Erika Januza conta como foi escolhida protagonista de série da Globo: “Achei que era mentira”

“Aí é aquele negócio que te falei, a água que ele está bebendo hoje, eu já bebi e bebi até engasgar, que é a água da Globo, mas bebi a água da Globo com Boni, Daniel Filho, Avancini, Mario Luz Vaz, pessoas que realmente conhecem, por isso a Globo é hoje o que é. Aí um dia me encontro com Serginho na Globo, no restaurante, e fui com tudo falando: ‘Grande Serginho, como vai? tudo bem?’, e ele respondeu seco: ‘Tudo bem. Me dá licença…’, e me deixou lá com a mão parada. Minha ex-mulher falou: ‘João, deixa pra lá, talvez não esteja num bom dia’ e passou. Mas aconteceu de novo, ele fez a mesma coisa e foi embora. Estava novamente com minha ex-mulher novamente, e foi ela quem disse: ‘Esse cara está deslumbrado porque está na Globo’”, disse João Kléber indignado com a atitude do colega.

Aos 60 anos de idade, e 45 anos de carreira, o apresentador e humorista revelou que por parte de muitos artistas existe um deslumbre em relação à emissora carioca: “Eu na época estava bombando com o Teste de Fidelidade, e o Serginho faz um programa, muito bom, inclusive parabéns, mas lá é tudo no politicamente correto, o programa da família artística brasileira, então o artista não vem no Raul Gil, mas vai no Serginho, não vai na Luciana Gimenez, mas vai no Serginho. Se eu por exemplo, chamar um ator da Globo para ir ao meu programa, ele vai dizer: “Ah não dá não, não tenho agenda, a Globo não libera”, Ok, aí você chama um cantor que está bombando e ele diz: “Não dá, tenho agenda até o final do ano”. Aí liga o produtor da Ana Maria Braga para o mesmo cara estar lá às 8 da manhã ao vivo e ele responde: “Ta bom, chego às 5″. Então é o fim do mundo. Isso aprendi com o Chacrinha, se você falar para uma pessoa ou um milhão, fale da mesma forma. Para você que pensa que existe só uma emissora no Brasil, você está equivocado”.

Leia também: No Programa da Sabrina, apresentadora revela gravidez de risco e sexo da criança

João Kléber contou que por muitos anos foi contratado da Globo, e que muitas pessoas questionaram sua decisão de deixar a emissora, e entrar na RedeTV! em 1999 já era que era uma emissora nova, que poucos sabiam se iria ou não dar certo: “Quando fui entrar na RedeTV! fui muito questionado, porque a RedeTV! ainda estava começando, e eu deixaria a Globo, porque estava lá. E eu acredito que o artista tem que ir onde estão vocês, o público, seja no Raul, na Luciana, no Silvio, no Datena, enfim. Silvio Santos, nosso gênio da televisão mundial. As pessoas não assumiam que assistiam ao programa, diziam ‘Não assisto o Silvio. Minha empregada estava assistindo, eu estava passando e vi alguma coisa’, olha o preconceito, isso é ridículo. Esse preconceito contra os programas populares é um absurdo, então minha revolta com o Serginho não é profissional, porque ele é excelente profissional, mas acho que ele teve preconceito comigo”, finalizou o apresentador.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio