Dono de afiliada da Record sugere apedrejar quem noticiar mortes por Covid-19

Empresário reclama da maneira como mortes da doença são divulgadas

Publicado há 4 meses
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O empresário Roberto Cavalcanti surpreendeu, nesta quinta-feira (14), ao dizer que jornalistas deveriam ser apedrejados. O dono do Sistema Correio de Comunicação, que tem a TV Correio, afiliada da Record TV – na Paraíba, como afiliada, avaliou que os profissionais de imprensa informam o número de mortos por Covid-19 como se fosse um gol da Seleção Brasileira.

“Tem determinadas emissoras que dão placar de quantos morreram no país. Parece que são gols da Seleção do Brasil. ‘Hoje, 10 mil gols, batemos o recorde.’ Isso é uma vergonha. Isso é um país que deveria ter vergonha na cara. O jornalista, o radialista que fizesse um negócio desses deveria ser apedrejado na rua”, disparou em entrevista ao programa Correio Debate, da Correio 98 FM.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As declarações do ex-senador Cavalcanti ganharam repercussão e ele recuou, segundo o UOL: “Na verdade, eu descarrego esse meu silêncio de 62 dias para hoje — talvez me exaltei, peço desculpas. A minha forma de conduzir no dia a dia é da parcimônia, de agregar, de conquistar, mas tem momentos em que você assiste ao assassinato de pessoas, ao assassinato de empresas”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais