“Diziam que estávamos glamourizando o crime, mas queríamos promover reflexão”, diz Juliana Paes sobre A Força do Querer

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na noite desta sexta-feira (20), vai ao ar o último capítulo da novela A Força do Querer. O programa Encontro com Fátima Bernardes recebeu as atrizes Juliana Paes e Paolla Oliveira que interpretam Bibi e Jeiza respectivamente, que falaram sobre a repercussão da novela, e as coincidências sobre os assuntos tratados na trama, e na vida real, como o caso de violência na favela da Rocinha recentemente:

Leia também: A Força do Querer deixa suas principais resoluções para o último capítulo

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“A gente as vezes está tão dentro que não temos a noção do alcance real da novela. Tomei muito puxão de orelha, fui xingada. Essa coisa da Rocinha foi uma loucura, porque quando tive que ir para a Tavares Bastos, que é onde gravamos, não consegui chegar na gravação porque estavam tendo problemas na Rocinha.” – Contou Juliana Paes.

Já Paolla Oliveira comentou o fascínio que o público tem pela história de Gloria Perez:   “Essa mistura de realidade e ficção, o encanto que tem a novela, deixou as pessoas divididas. Da minha parte as pessoas falavam da Ju pelo embate. E uma profissional como a Jeiza, com o olhar feminino, a gente escuta muita coisa. Acho interessante que o lado de cá foi mostrado de outra maneira. Existem bons e maus profissionais, e a Jeiza é um tipo de profissional que a gente quer ver na vida real.”

Fátima Bernardes questionou Juliana Paes, ao dizer que a Bibi estava ao mesmo lado de Jeiza no início da trama, servindo à lei como estudante de direito.

“É legal falar sobre isso porque uma novela que fala sobre desejo, a Gloria propôs essa reflexão. É um momento, um deslize entre o certo e o errado. Basta uma decisão, e ela decidiu pelo amor. Ela é só emoção, ao contrário dos psicopatas que são razão, a border line é só emoção. Esse lugar da paixão dela é uma fixação, não é amor de verdade. Eu quero agradecer à TV Globo, a todos que fizeram parte da novela, ao Papinha. Sofremos muitas críticas, diziam que estávamos valorizando o tráfico, glamourizando o crime, mas a intenção é sempre promover a reflexão.” – contou a intérprete da filha de Aurora (Elizângela).

As atrizes que não sabiam sobre os números alcançados pela trama foram informadas pela apresentadora que elas foram vistas diariamente por cerca de 80 milhões de pessoas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio