Diretor revela saga de Grazi para viver personagem de Verdades Secretas: “Cracolândia real, disfarçada”

A atriz foi indicada ao Emmy Internacional pelo papel

Publicado em 7/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Verdades Secretas começa a ser reexibida na tela da Globo no próximo dia 24 de agosto. O público poderá conferir, além do núcleo principal que permeia o mundo glamouroso da moda e o polêmico ‘book rosa’, o drama de Larissa, uma modelo que se perde no mundo das drogas. O papel é vivido por Grazi Massafera que, por ele, foi indicada ao Emmy Internacional como Melhor Atriz.

Na história de Walcyr Carrasco, Larissa é uma promessa das passarelas, mas acaba viciada em crack. Para entrar de cabeça na personagem, o diretor Mauro Mendonça Filho revelou que a atriz fez laboratório no famoso e triste reduto dos dependentes químicos no centro da cidade de São Paulo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Levei a Grazi lá, na cracolândia real, disfarçada. Cruzamos a rua, observamos discretos toda aquela degradação, conversamos com figuras que tentavam largar o vício, outras que tinham largado, mas sofriam para se manterem limpos. Tudo muito intenso”, contou Mendonça em entrevista ao Gshow.

Ele aproveitou para elogiar a entrega de Grazi ao papel. “Procuramos criar um ambiente seguro para a Grazi poder se jogar e encenar a desgraça da sua personagem, a Larissa. E ela foi um colosso de atriz. Encarou tudo com coragem e muito, mas muito talento. Depois de ‘Verdades Secretas’, Grazi passou a ser super respeitada como atriz, principalmente dentro da classe artística”, explanou o profissional.

De acordo com o diretor, as sequências desse núcleo da novela foram as mais difíceis, desde a pesquisa até as gravações em si. “A dificuldade era grande, desde a pesquisa (…) Optamos pela compaixão. O viciado, antes de tudo é um doente. Está no limite de uma vida sem dignidade e há de se ter compaixão com essas pessoas”, comentou.

A ambientação foi toda no Rio de Janeiro, em uma rua do Santo Cristo, segundo Mauro. “Ao recriar o ambiente, com a cenografia e figuração foi outro desafio. Não é uma realidade fácil para as pessoas que não viveram aquilo compreenderem. Precisou de muita alquimia por parte da direção“, assumiu.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio