Destaque em Segunda Chamada, Débora Bloch critica o governo e a educação no país: “Vitória da ignorância”

Atriz destaca que há um projeto de desmonte da cultura e das artes no Brasil

Publicado em 11/09/2021 23:32
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A nova temporada de Segunda Chamada estreou nesta sexta (10) no Globoplay. A aclamada série se passa em uma escola pública na periferia de São Paulo e conta com Débora Bloch como protagonista.

A atriz vive a professora Lúcia, que na primeira versão sofreu com a morte do filho, além do relacionamento conturbado com Jaci (Paulo Gorgulho).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na nova versão, Lúcia volta sua atenção ao drama dos moradores de rua. A docente tenta atrai-los para a escola, para a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em meio a esse objetivo, se envolve com o personagem de Ângelo Antônio.

Em uma videoconferência sobre a série, Débora contou detalhes do trabalho e criticou o modo em que o governo conduz a educação no país. Segundo ela, “a gente está sofrendo com a vitória da ignorância”.

O discurso da atriz é de pesar em meio a tantas decisões que estão prejudicando a educação, a cultura e a arte no Brasil. “Espero que a gente acabe essa guerra com cultura, amor e educação, e não com descaso pela vida e pelas pessoas. É muito grave o que está sendo feito com o ensino, com a educação, especialmente com o ensino público, com as universidades. É muito grave ter um ministro da educação que diz que a universidade é para poucos, que diz que os deficientes atrapalham, é muito grave”, relatou.

Débora destacou que há um projeto de desmonte para esses setores. “É um momento de escuridão, e há um desmonte, um projeto de desmonte da cultura e das artes, que é uma coisa muito séria. Quem estudou um pouco de história sabe que o primeiro sinal de regimes autoritários e fascistas é o desmonte de educação e dos aparelhos de cultura: isso destrói uma sociedade, acaba com qualquer projeto de civilização e de identidade nacional”, opinou.

As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio