Deputado do PSL quer que Câmara dos Deputados repudie sátira do Zorra contra agrotóxicos

Publicado há um ano
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Deputado Federal Sanderson (PSL-RS) entrou com uma proposição nesta segunda-feira (5) em que pede uma moção de repúdio da Câmara dos Deputados contra uma sátira feita pelo programa Zorra, da Globo, ao uso de agrotóxicos em produtos agrícolas. A sátira foi ao ar no último sábado (3).

Na proposição, obtida pelo Observatório da Televisão através da Lei de Acesso à Informação, o deputado diz que os empresários da agricultura brasileira foi ofendida, bem como deu a entender que deputados recebem dinheiro para favorecerem a classe.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na sátira feita pelo Zorra, foi realizada uma paródia ao clássico Sítio do Pica-Pau Amarelo, livro de Monteiro Lobato que foi adaptado como série pela Globo nos anos 70 e nos anos 2000. A brincadeira parodiava a abertura do programa e mudava o nome para Sítio do Pica-Pau com Sequela.

No Twitter, o deputado falou sobre o assunto: “A paródia expôs, de forma vexatória, a atuação dos produtores rurais do Brasil, com referências pejorativas à atividade agrícola e ao uso de agrotóxicos. Um desrespeito e desprestígio aos produtores rurais brasileiros que trabalham diuturnamente em prol do desenvolvimento do país”.

A proposição pode ser arquivada ou acatada pela Câmara dos Deputados. O fato foi noticiado por um perfil no Twitter que noticia Proposições ridículas feitas pela Câmara Federal. O fato viralizou e o youtuber Felipe Neto, o maior do Brasil, defendeu o programa e pediu o apoio do público.

“O deputado Sanderson, do PSL, não quer q NINGUÉM compartilhe esse vídeo abaixo, que tira sarro da situação catastrófica dos mais de 290 agrotóxicos liberados em apenas 7 meses de governo. Ele quer censurar o vídeo. Por favor, não compartilhem, hein?”, escreveu Neto.

Procurada pelo Observatório da Televisão, a Globo não respondeu aos contatos. Caso o faça, a matéria será atualizada.

Veja o vídeo da sátira e tire suas conclusões:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais