Debora Falabella participa da première de Aruanas em Londres: “Me sinto melhor depois de gravar essa série”

Publicado há um ano
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As primeiras imagens
de Aruanas ganharam as telas do tradicional Electric Cinema, em
Nothing Hill, Londres, na última terça-feira (18). Com a presença da atriz Debora
Falabella
, o evento contou com mais de 100 convidados na plateia, entre
jornalistas, influenciadores, ativistas e apoiadores de importantes ONGs internacionais.

A exibição foi
seguida de um painel que contou com a participação de representantes do
Greenpeace, Anistia Internacional e ONU Meio Ambiente. A série, que mostra a
importância do trabalho dos ativistas ambientais na defesa da justiça e de um
mundo mais sustentável, traz no elenco nomes como: Taís Araújo, Leandra
Leal
, Camila Pitanga, Thainá Duarte e Debora Falabella.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como atriz, me sinto melhor depois de gravar essa série. Sofremos uma transformação ao fazermos parte deste lindo e grande projeto. É uma grande oportunidade para engajar o público na questão ambiental através da história dessas mulheres, das Aruanas”, disse Falabella.

No Brasil, a série é um original Globoplay e estará disponível para seus assinantes a partir do dia 02 de julho. No resto do mundo, Aruanas chegará a mais de 150 países, legendada em 11 idiomas, na plataforma Aruanas.tv no mesmo dia. Essa é uma estratégia inédita de distribuição internacional da Globo e da Maria Farinha, coprodutoras do projeto.

A questão ambiental está sendo discutida há muito tempo, no mundo todo. Um dos trunfos dessa produção é tentar unir as pessoas em torno de um tema tão importante. Queremos tocar o coração das pessoas com um entretenimento de qualidade”, explica Sergio Valente, diretor de Comunicação da Globo.

Estela Renner, Deborah Falabella e Marcos Nisti na première da série Aruanas (Foto: Globo/Joanne Davidson)

Impacto mundial

Estela Renner, que assina a
autoria com Marcos Nisti, e também dirigiu a série, concorda que a
emoção em torno do tema tem o potencial de atingir audiências em todo o mundo.
As protagonistas de Aruanas são ativistas corajosas e competentes, e ao
mesmo tempo mulheres com questões complexas e universais, com as quais muitas
pessoas podem se identificar, em qualquer lugar do mundo
”, acredita.

Aruanas tem o apoio de
cerca de 28 ONGs internacionais e contou com a parceria do Greenpeace durante a
produção. “Agradeço pela possibilidade de diálogo entre o Greenpeace e a
Maria Farinha durante o processo. Trabalho há 20 anos na Amazônia. O grande
alimento do ativista é a indignação. A série nos faz pensar em qual é o nosso
papel nesta história, e no quanto estamos implicados na perpetuação desta
realidade
”, defende Nilo D’Avila, do Greenpeace Brasil.

Convidado para a pré-estreia, o cineasta Bruce Parry, que já produziu um documentário sobre a Amazônia, se emocionou ao assistir às cenas. “Fiquei extremamente tocado com o que vi, porque levanta uma profunda reflexão sobre o que realmente acontece lá. A ficção tem um poder incrível de ir direto ao ponto”.

Valorizando os trabalhos dos ativistas

Aruanas vai além do suspense
e da ação para propor a reflexão sobre o trabalho dos ativistas, que saem todos
os dias de casa sem a certeza de que voltarão em segurança. “A gente recebe
pelo menos um pedido de socorro por semana, de diferentes lugares do mundo. A
série mostra aspectos do trabalho do ativista, como a fiscalização da
legislação ambiental e a cobertura jornalística sobre o assunto, que está
diminuindo por questões de segurança dos jornalistas
”, disse Niamh
Brannigan
, da ONU Meio Ambiente.

Os ativistas não são super-heróis. São pessoas comuns, como
qualquer um de nós. O que é mais interessante neste projeto é a possibilidade
de levar este tema tão importante para mais pessoas
”, acredita Guadalupe
Marengo
, da Anistia Internacional.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais