De vermelho, Petra Costa chega ao Oscar e diz que cinema, cultura e voto curam

Publicado há 10 meses
Por Arthur Pazin
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na noite deste domingo (9), vai ao ar a 92ª edição do Oscar. Entre os indicados, está o documentário brasileiro Democracia em Vertigem, dirigido pela cineasta Petra Costa, que foi à cerimônia vestida de vermelho, como registrado em seu perfil oficial no Instagram. Veja:

Ao vivo no Fantástico, Petra falou sobre a expectativa de levar uma estatueta e aproveitou para enaltecer o cinema e a cultura. “Muita honra, muita alegria estar aqui representando o Brasil, em 2020, nesta cerimônia em homenagem ao cinema e à cultura, porque é isso que faz nossas civilizações se curarem“, disse.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Petra falou também sobre o empoderamento feminino nas indicações deste ano a documentários. “É o braço da academia de mais de vanguarda, já conseguiu paridade de gênero, 50 e 50 por cento”, explicou a cineasta.

Em entrevista ao canal TNT, Petra usou um tom mais direto para mandar seu recado e disse que a cura do Brasil depende do voto de cada um. “Eu acredito que isso não é da alma brasileira, a gente consegue lidar com as diferenças, mas esse ódio não faz parte da nossa natureza. O documentário é uma carta de amor ao Brasil… cura do Brasil depende do voto de cada um. Não aguento mais gente falando que política é tudo igual. A gente tem que barrar esse avanço”, declarou.

No documentário, a cineasta faz uma retrospectiva de como o Brasil chegou no atual cenário político, focando no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio