Conclusão pericial sobre o acidente aéreo de Huck e Angélica ganha reportagem no Domingo Espetacular

Investigações chegam ao fim cinco anos e meio depois do ocorrido

Publicado há 4 dias
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cinco anos e meio depois do acidente de avião que envolveu o casal global Luciano Huck e Angélica, seus três filhos, Benício, Eva e Joaquim, e ainda a babá das crianças, em Campo Grande (MS), em 24 de maio de 2015, o assunto voltou a ser pauta dos noticiários, e, no Domingo Espetacular deste dia 10, o público conferiu uma reportagem sobre o assunto, agora concluído após investigações anos de investigação.

O laudo pericial finalmente concluído, mostrou o real motivo do acidente: um erro de manutenção da aeronave apontou que ela não poderia erguer voo. O piloto foi obrigado a pousar por motivo de pane seca, ou seja, falta de combustível no tanque da asa esquerda.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Segundo o laudo e sensores que indicam a quantidade de combustível em cada tanque, eles foram invertidos na manutenção e por isso o painel confundiu o piloto ao mostrar que havia combustível suficiente para o voo no tanque da asa esquerda, o que eu não era verdade.

O avião modelo Embraer 820C havia decolado de uma estância turística do Pantanal, em Miranda, com previsão de pousar no Aeroporto de Campo Grande, mas teve de fazer pouso forçado na ocasião. A versão divulgada é que aparentemente a aeronave ficou sem combustível em pleno ar, caindo em uma fazenda na região de Rochedo.

À época, Huck e os filhos viajaram para o Pantanal para acompanhar uma série de gravações de Angélica para o programa semanal Estrelas, da Globo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio