Completando 24 anos de carreira na TV, Dalton Vigh afirma se espantar com o impacto de ‘Poliana’ em sua vida: “Uma grata surpresa”

Publicado há 2 anos
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ator Dalton Vigh, no ar como o senhor Pendleton de As Aventuras de Poliana, segue colhendo os louros do sucesso com seu atual personagem na trama infantil do SBT. Prestes a completar 55 anos no próximo dia 10 e 24 de carreira, Dalton conta em entrevista ao Observatório da Televisão, que às vezes se espanta com o assédio dos fãs da novela. “Um dia que fui levar os meninos [filhos] no zoológico e fui atacado pelas crianças (risos). Enfim, foi uma grata surpresa. Foi bem bacana ver o tamanho da repercussão que a novela vem tendo“, comentou ele, que hoje movimenta quase 200 mil seguidores em suas rede sociais.

A trama infantojuvenil do SBT completou um ano no ar no dia 16 de maior e chegou ao capítulo 300, sendo um dos maiores sucessos da história recente da emissora de Silvio Santos. Vigh conta que ainda tem fôlego para mais um ano. “A avaliação que eu faço deste ano é que a novela está sendo um sucesso e tem sido muito legal fazê-la. Super agradável ir pra gravação. Por mim, eu faria mais um ano“.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Questionado se antes de voltar ao SBT, ele tinha dimensão da força que a emissora tem com o público, Vigh explica que estar em Poliana o fez compreender e comprovar os motivos pelos quais o público gosta desse nicho de novela. 

Eu sabia que a emissora estava investindo no público infantojuvenil e tinha conhecimento do sucesso das novelas que estavam fazendo. E aí fazendo Poliana é que pude comprovar realmente o quanto que as pessoas acompanham e gostam desse segmento, mesmo adultos. Tem muita gente de várias faixas etárias que acompanha a novela porque gostam mesmo e por curtirem a trama mais leve“, contou.

Dalton Vigh estará em filme e série no Multishow

Com mais de 20 anos de carreira, Dalton Vigh fala sobre a valorização do ator no mercado atual, tendo em vista as mudanças nos últimos tempos, o crescimento de novas mídias e as mudanças na forma de consumo dessasproduções. “Existe mais opções de produções acontecendo nesse momento. Então, realmente tem mais trabalho, mais gente empregada, pelo menos temporariamente (risos), enquanto durar a produção. Mas realmente deu uma grande mudada no panorama dos últimos cinco anos pra cá ou mais“, explicou.

Porém, para o ator, o quadro de empregabilidade na classe artística no Brasil não apresentou melhorias nos últimos anos. “Não acho que ela esteja mais estável. Acho até que tem uma mudança nessa postura, principalmente da Rede Globo, de contratos longos. Então, eu acho que existe mais quantidade e variedade de produções mas a questão de estabilidade não vejo que tenha melhorado de 10 anos pra cá não“, explicou.

Dalton Vigh (Divulgação/ SBT)

Com papeis marcantes na teledramaturgia nacional, Dalton Vigh coleciona protagonistas em novelas de muito sucesso como Tocaia Grande (1995), Xica da Silva (1996), Pérola Negra (1998), O Clone (2001), Duas Caras (2007), Dalton afirma que Said de O Clone foi o divisor de águas em sua trajetória. “Depois desse personagem vieram diversos convites seguidos para outros papéis importantes, foi a partir dali que consegui de fato me estabilizar na carreira. Volta e meia recebo mensagens de fãs russos no Instagram porque a novela é inclusive grande sucesso lá“, contou.

Envolvido com a temática de robótica e tecnologia que cerca o seu personagem, o ator revela que fica estupefado com os acontecimentos da história escrita por Iris Abravanel. “Eu acompanho meio que estupefato (risos) as notícias dos avanços da tecnologia e tudo mais do que já está sendo capaz de se fazer aqui. Enfim, mas só acompanho, não posso me considerar um ser humano tecnológico“, afirma ele, que também aponta para mudanças internas como a vaidade, causadas pela vivência com o personagem.

Dalton Vigh (Divulgação/ SBT)

Sobre qual destino ele daria ao senhor Pendleton, Dalton conta que gostaria de ver seu personagem se redimindo diante de alguns comportamentos. “Gostaria que ele encontrasse a paz e de repente se redimisse de certos comportamentos egoístas, maniqueístas e manipuladores da parte dele. E que tivesse um final feliz é claro“.

Paralelo à Poliana, Dalton está em Kardec e A Divisão que entra no Globoplay dia 19 de julho. “Vou estrear uma peça aqui em São Paulo, na verdade é uma reestreia e eu que entrei agora para o elenco, que a gente estreia dia 02 de no Renaissance. E também tenho projetos para o ano que vem, de dois longas e mais duas peças de teatro também que aí quando a coisa ganhar mais corpo vou anunciar, vou dar mais detalhes“, revelou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio