Com painel crítico, As Five quer mostrar “empoderamento feminino” no Globoplay

Publicado há 10 meses
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Talvez o painel mais esperado envolvendo o Globoplay nesta quinta-feira (5), o seriado As Five teve seu primeiro ato mostrado ao público que estava no auditório principal da CCXP19. Crítico do início ao fim, ele terminou com uma homenagem do criador da série Cao Hamburguer, e das suas protagonistas, para as vítimas da tragédia em Paraisópolis no último fim de semana.

Falando especificamente do programa, as cinco protagonistas (Ana Hikari, Gabriela Medvedoviski, Manuela Aliperti, Heslaine Vieira e Daphne Bozaski) disseram que, mesmo com muito trabalho, conseguiram se unir mais ainda. E o cuidado para gravar cenas mais complicadas tomou conta da produção. Um exemplo claro foi dado por Hikari.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Certo dia, eu tinha apenas uma fala e três cenas para gravar. Em duas eu não falava, e uma eu fala apenas uma palavra: merda. Foi tão exaustivo quanto gravar a Viva a Diferença, que eu tinha 20 páginas para gravar por dia, porque era uma das protagonistas”, afirmou a atriz.

Em As Five, as protagonistas de Malhação: Viva a Diferença voltam seis anos depois dos acontecimentos da novelinha teen, que foi sucesso na Globo entre 2017 e 2018. Sem conseguirem se ver faz dois anos, elas acabam se reaproximando devido a dificuldades diversas da vida de jovens adultos.

Alías, o grande plot twist do programa é mostrar como jovens mulheres, que estão juntas, se ajudam umas com as outras. “É uma série para mostrar que todas nós devemos e podemos segurar na mão umas das outras e seguir em frente, subir juntas e unidas”, afirmou Manuela.

Antes da primeira temporada, uma segunda temporada?

Mesmo antes de sua estreia, prevista para janeiro de 2020, As Five já tem uma segunda temporada em discussão. “Está prevista, depende do que pode acontecer. Mas temos algumas ideias, e o que saiu foi algo muito legal, muito divertido”, contou “A série termina com muitas coisas em aberto, a gente mesmo ficou se perguntando o que aconteceria com elas”, brincou Daphne Bozaski.

No fim das contas, As Five é mais que uma série para o público jovem. “Queremos deixar nossa marca no audiovisual brasileiro. Pode parecer prepotente da minha parte, mas o que temos aqui é algo muito grande”, completou Gabriela Medvedoviski. A julgar pela reação do público, de fato, será algo grande.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais