Com apenas um mês no ar, Justiça decide reclassificar matinal Aqui na Band

Publicado há um ano
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com apenas um mês no ar, o Ministério da Justiça reclassificou nesta terça-feira (25), em publicação no Diário Oficial da União (DOU), o programa Aqui na Band. A atração matinal da emissora do Morumbi, apresentada por Luís Ernesto Lacombe e Silvia Poppovic, agora tem um selo de “não recomendada para menores de 12 anos”

Todavia, conforme o despacho, o programa de entretenimento foi reclassificado por linguagem chula e apelo sexual.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Ministério da Justiça notificou e pediu mudanças para o programa. A Band, porém, não obedeceu e manteve seu formato intacto. Com isso, o órgão optou por mudar o selo.

Entretanto, a Band argumentou que tentou mudanças. A Justiça diz que, em pelo menos três edições, além de manter a linguagem chula e o apelo sexual, foram detectadas “ato de violência e descrição de violência”.

Curiosamente, o período de monitoramento cobriu o período em que o programa apostou na cobertura da acusação do estupro contra o jogador Neymar.

Porém, vale ressaltar que isso não vai afetar o horário do Aqui na Band. Em 2016, o STF (Supremo Tribunal Federal) derrubou que a classificação indicativa determine o horário de uma atração. O medida foi considerado inconstitucional.

Se o antigo método valesse, o Aqui na Band só poderia ser exibido após às 20 horas.

Aqui na Band está desde maio no ar

O curioso é que o Aqui na Band tem pouco tempo de vida e já foi reclassificado pelo Ministério da Justiça. A atração entrou no ar no fim de maio, e está no ar faz pouco mais de 30 dias.

Entretanto, a atração não traz maiores novidades em relação a atrações do gênero de outras emissoras, como o Encontro com Fátima Bernardes (Globo) e Hoje em Dia (Record). Esses sequer foram reclassificados recentemente e sequer foram incomodados pela Justiça nesse sentido.

Procurada pelo Observatório da Televisão, a Band não respondeu os contatos até o fechamento desta reportagem.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais