Clássico da TV, Pai Herói terminava há 38 anos

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 18 de agosto de 1979, a Globo reapresentava o último capítulo de Pai Herói, clássica novela das oito assinada por Janete Clair. A trama tinha Tony Ramos como o protagonista André Cajarana, e foi dirigida por Gonzaga Blota, Walter Avancini e Roberto Talma.

Quando criança, André Cajarana foi tirado do orfanato pelo avô, que o criou com a ilusão de que seu pai era um grande homem. André viveu com o avô na cidade de Paço Alegre, em Minas Gerais, até a morte deste. Já adulto, decide ir para o Rio de Janeiro, na tentativa de elucidar a morte de seu pai e, ainda, em busca de suas próprias origens e identidade. Ali, ele descobre que seu pai é tido como bandido, acusado de ter roubado terras que não lhe pertenciam e, ainda, matado um padre.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O maior envolvido na infâmia e no desaparecimento do pai de André é o mau-caráter Bruno Baldaracci (Paulo Autran), um empresário mafioso que foi sócio dele, e que, ainda, é casado com sua viúva. André, então, enfrenta Bruno na tentativa de inocentar seu pai, mas o vilão faz de tudo para encobrir seus negócios escusos. Além disso, Bruno Baldaracci impede André de se aproximar de sua mãe Gilda (Maria Fernanda), e o mocinho acaba se metendo numa confusão. André acaba acolhido por Ana Preta (Gloria Menezes), que teve uma filha de Bruno e é dona da casa de samba Flor de Lys.

Enquanto isso, Carina (Elizabeth Savalla) é uma famosa bailarina criada pela tradicional família Limeira Brandão. Neta da dominadora Dona Januária (Lélia Abramo), Carina abandonou o marido César Reis (Carlos Zara), um homem inescrupuloso que casou com ela por interesse. No momento em que Carina sofre por ter perdido a guarda da filha, conhece André e, ao confundi-lo com um ladrão, pede para ser morta.

Este encontro fará acender a paixão entre André e Carina. Apaixonados e vivendo um intenso relacionamento, eles tentam fugir dos problemas do Rio de Janeiro juntos. Entretanto, quando Carina passa para André uma procuração para que ele a represente nos negócios de sua família, André retorna ao Rio batendo de frente com César Reis, além de reencontrar Ana Preta, que é apaixonada por ele. Em seguida, Carina é vítima de um atentado, e André acaba sendo acusado.

E é assim, construindo um emaranhado de situações e reviravoltas que Janete Clair consagrou seu estilo folhetinesco único e assinou mais um sucesso do horário nobre da Globo. Pai Herói agradou em cheio, graças ao carisma do herói André, aos temas familiares e de relações humanas, e à trama muito bem armada, cheia de altos e baixos.

A abertura da novela é um clássico da nossa TV. Ao som de Pai, famosa música de Fábio Jr, um quebra-cabeça vai sendo montado, mas falta uma peça. A peça em falta forma a silhueta de um homem, o pai, de quem um garotinho segura a mão. O quebra-cabeça chegou a ser lançado pela Globo na época da exibição da novela.

Pai Herói foi a única novela de Janete Clair até aqui a ser reexibida no canal Viva. A trama esteve em cartaz entre 17 de outubro de 2016 a 6 de maio de 2017 em 178 capítulos substituindo Laços de Família e sendo substituída pela re-reprise de Por Amor. Em julho de 2016 foi lançado o DVD da trama pela Globo Marcas.

Leia também:

Há 29 anos, Jô Soares se tornava entrevistador em Jô Soares Onze e Meia

Veja a abertura e o encerramento de Pai Herói:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais