Cinco novelas inéditas – e melhores que qualquer reprise – para substituir Triunfo do Amor no SBT

Canal escolheu exibir (outra vez) Coração Indomável

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A decisão do SBT de substituir Triunfo do Amor por uma nova reprise de Coração Indomável dividiu opiniões entre os fãs da emissora. A expectativa geral era que Silvio Santos recorresse a outro título inédito do catálogo da Televisa para ocupar a vaga da história de Maria Desamparada (Maite Perroni).

Pensando nisso, nós, do Observatório da TV, separamos cinco sugestões de folhetins mexicanos nunca vistos na telinha brasileira, e que certamente agradariam muito mais a plateia da Anhanguera que mais uma exibição do velho romance entre Maricruz (Ana Brenda Contreras) e Otávio (Daniel Arenas). Confira a seguir e veja se você concorda conosco.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Gabriela Spanic e Arturo Peniche em A Intrusa (Divulgação / Televisa)

A Intrusa

Aproveitando o hype da chegada de A Usurpadora (1998) ao Globoplay, o SBT bem que poderia exibir essa aguardadíssima produção de 2001, que em muito se parece à história de Paola e Paulina – a começar pelo fato de trazer a atriz Gabriela Spanic novamente no papel de gêmeas, aqui chamadas de Virgínia e Vanessa.

A história começa quando Virgínia Martins, a heroína, recebe uma insólita proposta de seu patrão, Rodrigo Junqueira (Enrique Lizalde): casar-se com ele para herdar sua fortuna e livrá-la de ser delapidada por seus filhos, todos mauricinhos e irresponsáveis.

Ao aceitar essa ingrata missão, a moça põe em xeque seu romance com um dos herdeiros de Rodrigo, Carlos Alberto (Arturo Peniche), que a acusa de usurpar o direito seu e dos irmãos à herança do ricaço. À espreita de tudo isso, está Vanessa, a gêmea malvada e sensual, aguardando a oportunidade perfeita para tirar Virgínia de cena e se passar por ela na mansão dos Junqueira. Um plot e tanto, não?

A sofrida Paloma (Allisson Lozz) e sua perversa tia Carlota (Leticia Calderón) na novela Em Nome do Amor (Divulgação / Televisa)

Em Nome do Amor

Esta produção de Carlos Moreno Laguillo – o mesmo de Quando me Apaixono, último sucesso inédito do SBT – adota uma linha bastante similar à da própria Triunfo do Amor, ao inserir uma intensa e dramática história de amor dentro de um complexo contexto familiar e religioso.

A trama de 170 capítulos – os quais, por sinal, já se encontram todos dublados – conta a história de Paloma (Allisson Lozz), jovem órfã que, após a morte de seus supostos pais, passou a viver com suas duas tias, a doce Madalena (Victoria Ruffo) e a perversa beata Carlota (Leticia Calderón).

Obcecada pela sobrinha, Carlota é capaz de matar o noivo dela, Isaque (Luis Hacha), para conservá-la ao seu lado, mas não consegue impedir que Paloma redescubra o amor nos braços do corajoso Emiliano (Sebastián Zurita). Mais tarde, descobre-se que Paloma é na verdade filha de Madalena com o padre João Cristóvão (Arturo Peniche), cujo amor Carlota sempre cobiçou.

Anahí e Carlos Ponce em Vida Dupla (Divulgação / Televisa)

Vida Dupla

Anahí é a protagonista desta trama controversa e pouco convencional, que, embora não tenha sido um sucesso de audiência no México, arrancou elogios da crítica especializada.

A eterna Mia Colucci, de Rebelde (2004-2006), interpreta aqui a veterinária Angélica, que vê sua história de amor com Santiago (Carlos Ponce) se transformar em tragédia quando ele aparentemente falece em um acidente, poucos meses após se casarem.

Anos depois, a heroína volta a se apaixonar por um homem mais velho, Ricardo (Sergio Goyri), com quem logo se casa. É quando Santiago reaparece, desmemoriado, e reencontra a amada – que, sentindo amar dois homens ao mesmo tempo e incapaz de renunciar a qualquer deles, começa a se dividir clandestinamente entre as duas relações.

Angélica Rivera e Eduardo Yáñez em Destilando Amor (Divulgação)

Destilando Amor

Quem acompanhava a programação do SBT há alguns anos, mais especificamente em 2007, deve se lembrar deste remake de Café com Aroma de Mulher (1994) cuja transmissão a emissora chegou a iniciar, mas interrompeu poucas semanas depois, por falta de audiência. Seria esta uma boa hora para dar uma nova chance à atração?

O centro da história é o amor impossível entre Gaivota (Angélica Rivera), uma humilde, porém corajosa camponesa, e o herdeiro de um império da produção de tequila, Rodrigo Montalvo – interpretado por ninguém menos que Eduardo Yáñez, o José Ângelo de Amores Verdadeiros. Já imaginou o bonitão mexicano em dose dupla na tela dos Abravanel?

Zuria Vega e Gabriel Soto em Um Refúgio Para o Amor (Divulgação / Televisa)

Um Refúgio Para o Amor

Quer mote mais classicamente mexicano do que a história de uma empregada que se apaixona pelo patrão? Pois é exatamente essa a premissa deste folhetim de 2011, que traz a ‘sumidinha’ Zuria Vega (Mar de Amor, Que Pobres Tão Ricos) como protagonista.

A diva de 32 anos dá vida a Luciana Jacinto, jovem do interior que vai tentar a sorte na Cidade do México e acaba caindo de amores pelo charmoso – e rico – Rodrigo Torreslanda (Gabriel Soto) ao ir trabalhar na casa dos pais dele. Os ingredientes do melodrama clássico estão todos lá, desde a presença da noiva invejosa de Rodrigo, Carla (Jéssica Coch), até o segredo do passado que relaciona a origem de Luciana à família do galã.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio