Cidade sem tecnologia e com fonte milagrosa: Aguinaldo Silva revela detalhes de O Sétimo Guardião

Publicado há 2 anos
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com estreia prevista para novembro, O Sétimo Guardião, trama das 21h que substituirá Segundo Sol, marcará a volta de Aguinaldo Silva ao realismo mágico, algo utilizado pelo autor em Roque Santeiro (1985) e A Indomada (1997).

Leia: Viviane Araújo fala sobre personagem que viverá em O Sétimo Guardião

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Achei que o realismo das novelas está perdendo para a realidade, que está mais interessante, no mau sentido, claro. Chegou a hora de a gente disparar a imaginação novamente”, declarou o novelista ao jornal Folha de S. Paulo.

Saiba mais: Veja a primeira imagem de Marina Ruy Barbosa e Bruno Gagliasso como os protagonistas de O Sétimo Guardião

Em Serro Azul, cidade fictícia da produção, haverá uma fonte milagrosa que será usada pela vilã da história, uma empresária do ramo da beleza que será interpretada por Lília Cabral.

“Ela descobre que a água é útil para o que ela fabrica, mas isso é uma pequena parte da importância dessa água, que é muito maior que isso”, declarou o escritor, que ainda revelou que o município não terá tecnologia.

“Esse mundo moderno dificulta muito a dramaturgia, porque antes era preciso esperar uma carta que não chegava nunca para revelar uma história. Agora é só mandar um zap”, explicou, enfim, Aguinaldo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio