Cássio Scapin participa do Persona e relembra o sucesso em Castelo Rá-Tim-Bum

O ator viveu Nino, o protagonista da célebre série infantil

Publicado há um mês
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Neste domingo (06), às 21h30, na TV Cultura, o Persona faz uma homenagem ao ator e diretor teatral Cássio Scapin, que há 35 anos tem uma carreira bem-sucedida em palcos e telas. A entrevista inédita será conduzida pela atriz Érica Montanheiro, colega de Cássio em vários trabalhos no teatro, e pelo ator Eduardo Silva, parceiro de Scapin no sucesso infantil Castelo Rá-Tim-Bum.

Ele começa a edição contando que quando era criança contracenava com os personagens da televisão. Também comenta sobre a importância da arte nesse momento da vida. “Eu tinha personagens em todas as séries americanas como Perdido no Espaço, A Feiticeira, Família Do-Re-Mi, The Monkees e I Love Lucy. Acho que é fundamental a criança ter contato com a arte em sua fase de formação. Eu tive a sorte de ter uma professora que me proporcionou isso”, conta Scapin.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cássio fala também sobre seu personagem Nino, do Castelo Rá-Tim-Bum. “O Nino chegou até mim. Me convidaram para fazer um teste na TV Cultura e como eu tinha um traquejo bom com essa história do clown, eu terminei o teste e pensei: eu peguei. Me chamaram e começamos o processo de construção do Castelo Rá-Tim-Bum, que eu acho que foi o único trabalho do gênero na televisão nacional, onde os atores tinham uma grande participação na construção do que a gente queria fazer e como queríamos fazer”, diz.

Com trabalhos no teatro, televisão e cinema, Scapin comenta sobre sua trajetória profissional: “Eu tive muita sorte na vida. Trabalhei com pessoas e mestres muito legais. Eu sou de um período de pessoas muito feras. Desde o ponto de vista artístico como intelectual, de formação cultural. É muito gratificante ter trabalhado com essa geração e ganhar o pão falando coisas importantes, tendo substância no que faz”.

Com mediação de Atilio Bari, a edição conta ainda com os depoimentos de Paschoal da Conceição, Marisa Orth, Ligia Cortez, Jô Soares, João Carlos Martins, Myriam Muniz e Lara Córdula.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais