Carol Marra fala sobre ser trans e interpretar uma mulher cis em Quando Mais Vida, Melhor!: “É uma conquista”

Novela das 19h tem três atrizes transgênero no elenco

Publicado em 27/11/2021 13:54
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A carreira de Carol Marra decolou na última década. Jornalista de formação, ela trabalhava como modelo quando recebeu um convite para atuar. O trabalho de estreia foi em 2014 na série Psi, produzida pela HBO, na qual já quebrou paradigmas: primeira mulher trans a protagonizar um beijo na TV.

Sete anos depois, ela vive outro momento intenso. Fez o seu debut em novelas em Quanto Mais Vida, Melhor!, trama de Mauro Wilson que entrou no ar este mês da Globo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No folhetim das 19h, Carol Marra vive Alice, que ao contrário de todos os outros papéis que interpretou, não é caracterizada como uma mulher trans, e sim como cisgênero (pessoa que se identifica com o gênero que nasceu).

“Sou mulher cis na novela, elegante, mas avoada. Um papel na medida. Faço par romântico com Bruno Cabrerizo. Já tive uma cena pós-sexo de lingerie na cama. É uma conquista. Tem ator gay que faz galã, lésbica que faz mocinha, por que trans só pode ser trans?“, indaga Carol em entrevista ao jornal Extra, impulsionando uma reflexão.

Ela continua em tom de desabafo. “Ator tem que contar histórias diferentes das suas. Já cansei de fazer trans, mas não vou recusar porque preciso pagar minhas contas. Quero papéis femininos. Eu sou uma mulher de corpo, alma e documento”, declara.

Feliz da vida em poder representar outras mulheres trans, Carol relembra como foi se reconhecer como de fato é e os traumas que viveu no passado. “A vida é colorida, diversa e tem que ter essa representatividade na TV. Ninguém escolhe como nasce, e não podemos ser punidos por nossas condições. Eu sabia desde criança que não queria ser gay, queria ser mulher. Corri atrás. Independentemente de cirurgia ou não, eu já era uma mulher“, conta.

“Eu não tenho amigos de infância e isso é triste. Sofri bullying porque me chamavam de bichinha e também de ‘xixi na calça’ porque eu não podia frequentar o banheiro, tinha medo de apanhar. Isso me deixou marcas e sequelas pelo resto da vida”, revela.

Além de Carol Marra, Quanto Mais Vida, Melhor! traz em seu elenco Marcella Maia e Nany People, outras duas atrizes trans que ajudam fortalecer a diversidade da produção e simbolizar a representatividade.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio