Carol Bresolin: o poder de 3,6 milhões de seguidores; entenda a ascensão da influenciadora

A influencer atingiu a exorbitante marca de 2.8 milhões de seguidores em menos de 1 ano

Publicado há um mês
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Bem relacionada no mundo virtual, com alcance de voz e imagem a milhões de pessoas, mais precisamente 3,6 milhões seguidores, essa é Carol Bresolin, que aos 27 anos figura como a menina dos olhos de ouro do marketing e das marcas. 

A fim de saber para onde caminha este poderoso mercado de formadores de opiniões e suas ferramentas de poder, e é claro, entender o seu valor, o Observatório da TV foi atrás da popular influenciadora digital desbravar sua vida e seus passos dentro e fora da internet.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Formada em TV e Teatro, Carol Bresolin explicou a reportagem que seu ingresso ao universo digital não decorre de uma mudança de percurso de carreira. Pelo contrário!

Carol Bresolin atuou na novela Aquele Beijo, em 2012 (Reprodução: Instagram)

Com algumas experiências na área, valendo destaque para Aquele Beijo, novela de Miguel Falabella (TV Globo/2012), a jovem afirma que “apenas encontrou outras formas de se comunicar com um público, sem necessariamente ser a televisão”. “Sempre gostei muito de trabalhar com comunicação, por isso me formei em artes cênicas. Na realidade, não mudei de percurso“, contou.

A verdade é que muitas empresas gastam milhões pelo poder dessa influência e a fusão produto-voz transformou-se num mercado muito lucrativo. Para Bresolin, a popularidade e o dinheiro “são consequências positivas de um bom trabalho, sendo ele na TV, YouTube ou nas redes sociais”.

A questionamos sobre o que de fato explica o interesse das pessoas na vida de uma influenciadora, uma vez que pouco daquilo reflete a realidade. A partir de sua resposta, algumas peças se encaixam, afinal, o mundo perfeito do virtual também sofre as fragilidades do mundo real.

A influencer conquistou mais de 2.8 milhões de seguidores em menos de 1 ano (Foto/Instagram)

O que mostro nas minhas redes sociais sou 100% eu. Inclusive, essa é uma das coisas que mais me orgulho: ter milhões de pessoas me acompanhando por gostarem do que eu realmente sou.

Sempre mostro quando estou triste ou se algo não está bem, pois acho importante que as pessoas entendam que todos temos dias ruins e que está tudo bem nisso. Infelizmente a vida perfeita criada na maioria das redes sociais não existe, e isso precisa ser mostrado.

Carol conquistou público por transmitir positividade e verdade nas suas publicações, além de mostrar sua vida com dicas de alimentação, beleza e
cuidados pessoais.

Bresolin atinge mais de 160 milhões de views em 15 meses de canal (Foto/Instagram)

Mas existem os casos dos influenciadores que vivem o choque entre o real e o virtual. E a partir deste impacto, nasce um angustiante paradoxo: para gerar conteúdo, é necessário ter conteúdo. E sobre isso ela conta:

Acredito que exista estabilidade para quem de fato cria conteúdo. Penso que é necessário entender o seu público alvo e dedicar-se a estar sempre trazendo conteúdos novos e entretenimento de qualidade para preservar um público fiel.

É uma carreira tão estável quanto a carreira de um cantor ou ator, tendo em vista que estes também precisam acompanhar o seu público e também possuem momentos de instabilidade que podem ser resolvidos através de estudos e entendimento do público alvo.

Ponto alto

“Poder trabalhar com horários flexíveis, trabalhar com o que ama e ser você a todo momento.

Ponto baixo

Críticas destrutivas diariamente na internet, além de não ter reconhecimento como uma profissão.”

Carol Bresolin (Foto/Instagram)

Confira a entrevista completa:

OBS – A exemplo do Snapchat e outros aplicativos, você acha que o Tik Tok também tem data de validade, uma vez que a indústria dessas plataformas se renova frequentemente? Na sua visão, qual será o futuro para este aplicativo?

CB – Acredito que o Tik tok ainda tenha futuro, tendo em vista que é um aplicativo que abrange todas as idades e tem crescido muito nos últimos meses, tornando-se muito relevante.

Além disso, o Tik Tok começará a remunerar os criadores de conteúdo e isso, com certeza, fará com que os criadores tenham ele como uma de suas prioridades frente a outras redes sociais.

Porém, acredito que ele tenha prazo de validade sim, assim como os outros aplicativos, pois na internet tudo de renova com muita rapidez.

OBS – Existe estabilidade na carreira de influenciador? Ela pode ser mais estável que a carreira de um ator, um cantor?

CB – Acredito que exista estabilidade sim para quem de fato cria conteúdo. Penso que é necessário entender o seu público alvo e dedicar-se a estar sempre trazendo conteúdos novos e entretenimento de qualidade para preservar um público fiel.

Na minha opinião, ela é tão estável quanto a carreira de um cantor ou ator, tendo em vista que estes também precisam acompanhar o seu público e também possuem momentos de instabilidade que podem ser resolvidos através de estudos e entendimento do público alvo.

Carol Bresolin tem 3,6 MILHÕES de seguidores no Instagram (Foto/Instagram)

OBS – Você tem formação para a TV, o que ocasionou a mudança de percurso? O mercado para ganhar popularidade e fazer dinheiro está mais interessante fora dela?

CB – Sempre gostei muito de trabalhar com comunicação, por isso me formei em artes cênicas. Na realidade, não mudei de percurso, apenas encontrei outras formas de me comunicar com um público, sem necessariamente ser a TV.

Acredito que a popularidade e o dinheiro sejam consequências positivas de um bom trabalho, sendo ele na tv, YouTube ou nas redes sociais.

OBS – O que explica o interesse das pessoas na vida de uma influencer, uma vez que pouco daquilo reflete a realidade? Aliás, você concorda ou discorda disso?

CB – No meu caso, discordo. O que mostro nas minhas redes sociais sou 100% eu. Inclusive, essa é uma das coisas que mais me orgulho: ter milhões de pessoas me acompanhando por gostarem do que eu realmente sou.

Sempre mostro quando estou triste ou se algo não está bem, pois acho importante que as pessoas entendam que todos temos dias ruins e que está tudo bem nisso. Infelizmente a vida perfeita criada na maioria das redes sociais não existe, e isso precisa ser mostrado.

OBS – Como é a sua vida e quais são as suas vontades fora do YouTube, Instagram e Tik Tok?

CB – Minha vida hoje é basicamente a minha carreira. Acordo e vou dormir pensando em conteúdos e novas maneiras de trazer ainda mais entretenimento para o meu público.

Sou extremamente feliz com o que faço e isso só reflete na minha dedicação para com o meu trabalho. Mas também me trato com um ser humano normal que sou e que merece seus momentos de lazer, com a família, com amigos e, principalmente, longe do celular.

Sonho em ter um família, viajar por muitos países e ser feliz, acima de tudo. Quero continuar sendo realizada profissionalmente, pessoalmente e espiritualmente.

Carol Bresolin (Foto/Instagram)

OBS – Você viveu uma experiência em Aquele Beijo, da TV Globo, quais foram as suas impressões deste universo televisionado?

CB – Foi maravilhoso e foi graças a essa experiência que decidi me dedicar ainda mais a atuação, quando percebi que estar em frente às câmeras era o que realmente me deixava realizada.

OBS – Ter trilhado o caminho de influenciadora te afastou dos objetivos na TV? Quais são os seus projetos para os próximos tempos?

CB – Não afastou. O caminho de influenciadora e youtuber nada mais é do que uma forma de me comunicar com um público e realizar esse sonho de trabalhar com a comunicação.

Mas jamais fechei portas para a atuação na Tv, tendo em vista que sei o quanto isso me realiza como pessoa e profissional. Meus objetos futuros são criar algumas “séries” para o meu canal no YouTube, para abranger ainda mais públicos e ser cada dia mais reconhecida pelo meu trabalho.

OBS – Qual a sua relação com haters?

CB – Super positiva. Sou certa de quem eu sou, do meu caráter e da minha essência, por isso não me abalo facilmente com as críticas de haters.
Prefiro valorizar os elogios de quem realmente acompanha o meu trabalhos e minha dedicação diária e em alguns casos até utilizo das críticas para melhorar como ser humano e como profissional.

OBS – As referências e inspirações para o seu trabalho estão em qual cenário? Na TV, no cinema, na literatura ou no próprio circuito de influenciadores? Quem são eles?

CB – Minhas referências e inspirações estão em grande parte no próprio circuito de influenciadores e youtubers. Mas também já tive muitas inspirações em programas e canais de TV.

A maioria das minhas referências hoje são de fora do Brasil, pois acredito que com elas posso trazer um conteúdo diferenciado dos que já temos por aqui.

OBS – Você sentiu o impacto da pandemia do Covid-19 no seu trabalho? Precisou se adequar em alguma coisa?

CB – No início não senti tanto impacto pois sempre gravei e criei muito conteúdo dentro da minha própria casa, porém, gravava fora e com várias pessoas também. Por isso, aos poucos, comecei a ter dificuldade com conteúdos inovadores, tendo em vista que já estamos há mais 4 meses em quarentena.

Adequei todo o meu conteúdo para dentro da minha casa e com pouquíssimas pessoas, no caso, minha família. No meio digital também houve uma mudança, algumas marcas seguraram para entender como fazer o melhor investimento e se adequar a nova rotina.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais