Café Filosófico Expresso estreia na TV Cultura

Novo programa combina dupla de convidados e cenário itinerante

Publicado há um mês
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com 16 anos de existência, o Café Filosófico tem se reinventado quanto à forma, conteúdo, cenários e palestrantes que protagonizam reflexões relevantes para o pensamento contemporâneo. Em sinergia com esse processo evolutivo, o Instituto CPFL, em parceria com a TV Cultura, estreia na emissora o programa Café Filosófico Expresso, na terça-feira (9/6), às 23h.

O novo formato reúne dois convidados em cenários itinerantes que servem como palco para um diálogo mais curto – mas não menos qualitativo – sobre um tema definido por meio de uma curadoria própria de conteúdo. Aliás, qualidade foi uma preocupação constante na entrega do projeto.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O Instituto CPFL tem uma produção audiovisual intensa e contínua. O acervo do Café Filosófico é um celeiro de inúmeras possibilidades para explorarmos e encontramos novas formas de reflexão. A TV Cultura, nossa parceira há muitos anos, acreditou na relevância desta produção e vai exibir os episódios em sua grade. Isso coroa nossos esforços para entregar conteúdo de alta qualidade à população brasileira”, pontua o diretor do Instituto CPFL, Mário Mazzilli.

Diferentemente do programa tradicional, com 2 horas de duração ao vivo e 50 minutos na TV, o tempo do Expresso gira em torno de 25 minutos. Com uma mecânica mais dinâmica e sem pré-roteiro, o programa adota novas linguagens, criando uma personalidade própria, porém, mantém os valores do Café Filosófico por meio de temas e reflexões conectados à veia editorial do programa original.

Primeira temporada

A temporada Sete Pecados na Literatura tem inspiração na série 7 prazeres capitais – pecados e virtudes hoje, realizada pelo Café Filosófico CPFL em 2014, com curadoria de Leandro Karnal. A lista dos 7 pecados capitais é descrita pela história como a lista dos vícios. Sua intenção seria o controle dos padrões religiosos mediante a aproximação com Deus. Por outro lado, o texto literário inverte o método religioso e permite ler, com os olhos dos escritores, os pecados como paixões fundamentais para a existência do ser humano.

Para Eneida Maria de Souza, convidada do episódio 3, que trata do pecado da preguiça, participar do projeto foi uma experiência inovadora. “Colaborar com o Café Expresso em torno do tema da preguiça, com Frederico Barbosa, interlocutor de fino trato, foi uma experiência ímpar na minha trajetória acadêmica. A conversa, sem pretensões eruditas, acompanhou o movimento vivo de São Paulo, visitou suas ruas e contemplou os arranha-céus, imagem de uma cidade tão evocada e vivida por Mário de Andrade” explicou.

Com estética que faz alusão ao estilo documental, o Café Filosófico Expresso fez uso de recursos de captação de imagens em movimento. Para as imagens aéreas, o emprego de drones deu amplitude ao trajeto percorrido pelos convidados. Foi a primeira vez que o Café Filosófico fez uso do equipamento dentro de um episódio. Para as imagens captadas no interior dos automóveis, foram utilizadas câmeras esportivas que, além de menores e melhor ajustadas ao ambiente de um carro, também garantem maior estabilização do vídeo.

O projeto, que foi gravado antes da pandemia em 2019, demandou uma equipe de cerca de 30 profissionais entre câmeras, diretores, produtores, além de operador de áudio, equipe de conteúdo, comunicação e os pesquisadores convidados.

Primeiro episódio

Para a estreia da temporada Sete Pecados na Literatura, o episódio será sobre Boemia e Gula, com Fernanda D’umbra e Fabrício Corsaletti. O episódio vai refletir sobre quais relações podem ser traçadas entre criatividade e gula e ainda: a intensidade criativa pode se confundir com o prazer da gula? No estado de boemia, come-se. E bebe-se pela gula. Ou pela excitação do paladar? Na boemia, floresce a poética do ser, do texto, da poesia. Os artistas podem ser boêmios profissionais? Existe uma gula por produtos culturais, principalmente livros?

Boemia e Gula percorre o caminho até a Livraria Simples e o Box 62 – um restaurante frequentado por hipsters, localizado debaixo de um viaduto da Radial Leste e que faz frente com o Teatro Oficina. A conversa faz uso do livro Perambule, de Fabrício Corsaletti, como referência literária. O episódio também relembra trechos do acervo do Café Filosófico no programa com Luis Estevam de Oliveira Fernandes: “Entre vícios e virtudes, uma história da relação da humanidade com sua alimentação”.

O “Episódio 1: Boemia e Gula” vai ao ar na próxima terça-feira (9/6), às 23 horas, logo após o programa #Provoca, na TV Cultura.

Confira as datas de exibições de todos os episódios da 1ª temporada:

09/06 – EP 1. Boemia e gula
16/06 – EP 2. Orgulho clandestino
23/06 – EP 3. Macunaíma e a preguiça primordial
30/06 – EP 4. Avareza na literatura infanto juvenil
07/07 – EP 5. Ira e literatura marginal
14/07 – EP 6. Imagem e inveja
21/07 – EP 7. Luxúria na literatura e na vida

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais