Cabocla: Capitão Macário enfim é acusado pelos crimes que cometeu

O coletor de impostos finalmente é acusado pelos delitos que cometeu

Publicado há 9 meses
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O final de Cabocla, que vai ao ar nesta semana no Canal Viva, reserva o merecido castigo ao Capitão Macário (Oscar Magrini). Afinal, o coletor de impostos do estado aprontou muita coisa no decorrer da novela. Por trás de sua imagem de homem jovial, cordial, sincero “compadre” dos coronéis de Vila da Mata, há uma figura fria, calculista e ambiciosa.

Já se sabe que foi o Capitão Macário quem contratou Desidério (Paulo Vespúcio) para surrar o pobre Seu Felício (Sebastião Vasconcelos), na época da contenda entre os proprietários de terra pelo pequeno sítio onde o velho vive com a mulher e os filhos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Tobias (Malvino Salvador) em Cabocla (Reprodução/Canal Viva)

Também foi o Capitão Macário quem pagou o mesmo Desidério para dar cabo de Tobias (Malvino Salvador). Metido a valente e muito esquentado como sempre, o peão quase caiu na armadilha preparada na venda de Zaqueu (Alexandre Rodrigues). Ou melhor, até caiu, mas na hora H a vítima foi o inocente Tomé (Eriberto Leão), deixando Tina (Maria Flor) viúva.

Tina (Maria Flor) e Tomé (Eriberto Leão) em Cabocla (Reprodução/Viva)

Tudo isso ficou oculto até os últimos capítulos. Como se não bastasse, o Capitão Macário ainda articulou com o Coronel Boanerges (Tony Ramos) o casamento de seu filho Gustavo com a filha dele, Belinha (Regiane Alves). Tudo por conveniências financeiras e políticas, e oferecendo como moeda de troca o apoio à candidatura do “compadre” à prefeitura da cidade.

Um plano orquestrado pelo Delegado André (Henrique César) faz com que Desidério enfim confesse que foi o Capitão quem o pagou para que cometesse os crimes. Com a ajuda de Boanerges, Dr. André leva Desidério a pensar que o patrão está morto. Já que morto ele não pode mais se vingar dele, o matador dá com a língua nos dentes e o entrega.

No entanto, como o coletor de impostos segue bem vivo, a polícia tem finalmente a evidência que faltava para colocá-lo atrás das grades. E assim é feito: o Capitão Macário é preso e julgado em Vitória. Antes ele chega a dividir a cela em Vila da Mata com o mesmo Desidério que contratou, e que se assombra ao vê-lo vivo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio