Briga familiar pelo poder, dívida bilionária: os bastidores do Grupo Band

Publicado há 2 anos
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Márcia de Barros Saad e Maria Leonor Saad, irmãs de João Carlos Saad, atual presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, entraram com uma ação na justiça para tentar interditar o profissional do cargo.

Leia: Em crise, BandSports “enxuga” programação pela metade

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta segunda-feira (4), a 2ª Vara Empresarial e Conflitos de Arbitragem do Tribunal de Justiça de São Paulo negou o pedido. Já era a quinta vez que Márcia e Maria tentavam afastar João Carlos da posição, informou o Na Telinha.

Saiba mais: “O público da Band é mais exigente”, diz Cátia Fonseca sobre a audiência do Melhor da Tarde

O site Brazil Journal revelou que o Grupo está com uma dívida avaliada em R$ 1,2 bilhão, o que representa mais de oito vezes a geração de caixa que eles possuem. O processo seguirá e a corte arbitral é que decidirá quem irá comandar a companhia, que possui 40 empresas.

Contudo, procurada pelo Observatório da Televisão, a assessoria da Band declarou que não irá se pronunciar sobre o assunto.

Band quer realizar mudanças na faixa matutina

A saber, de olho na programação de 2019, a Band pretende fazer uma grande transformação na faixa matutina, investindo no jornalismo para tentar conseguir chamar atenção dos telespectadores e ter melhores resultados na audiência.

Contudo, segundo o colunista Flávio Ricco, a ideia é colocar um novo telejornal das 6h às 7h, substituindo o Jornal Band News. Depois, seguir com a exibição do Café com Jornal, reforçando as notícias veiculadas na atração.

Todavia, na sequência, iria ao ar uma versão matinal do Brasil Urgente, comandado por Joel Datena e com um conteúdo que seja além de informação policial, apostando também em prestação de serviço e outros assuntos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio