Band estreia Planeta Startup, primeiro reality de startups da TV brasileira

Publicado há um ano
Por Muka Oliveira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 26 de setembro, às 22h45, a Band estreia o reality show Planeta Startup, o primeiro do segmento na tv brasileira. O objetivo do programa é dar ainda mais energia ao movimento do empreendedorismo nacional, criando oportunidades reais de negócio a um grupo de novas startups e investidores, contando essa história para todo o Brasil.

O
programa é uma produção da Band e da Estilingue Filmes, o reality show apresentado pela jornalista e economista Ana Luísa Medici vai contar com a
participação das startups mais inovadoras do Brasil em uma disputa emocionante
nunca antes vista na televisão brasileira. 

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O programa tem como missão acelerar startups e mostrar como esse ecossistema funciona para o público. Hoje qualquer pessoa é beneficiada pela revolução tecnológica das startups, mas poucas conhecem com profundidade este universo. Ainda é algo muito segmentado. Minha missão é levar esse mundo para os telespectadores com uma linguagem atrativa, combinando minha experiência como jornalista com a dinâmica de âncora da atração. Estamos na quarta revolução industrial e quem não se atualizar vai ficar para trás”, analisa Ana Luísa Medici.

Prêmio

Serão
mais de R$ 2 milhões em prêmios, incluindo investimento no negócio em dinheiro,
mentorias, cursos e muito mais. Além de acelerar as operações, o Planeta Startup vai atrair
investidores reais para colocá-las de vez no mercado e apresentar a ideia do
startup para milhares de espectadores. A atração é uma oportunidade única
para os empreendedores que querem mudar o mundo e sonham em transformar sua
empresa em um grande negócio. 

“O movimento das startups é um
fenômeno que tem gerado fortunas, além de provocar mudanças econômicas e
sociais importantes em todo o mundo. No Brasil, esse movimento pode representar
o atalho para o nosso país alcançar mais rapidamente a evolução de que precisa.
Ao produzir o Planeta
Startup, temos certeza de que estamos, juntos com a Band, abrindo uma
grande janela para os o ecossistema de inovação e para os novos tempos. Para os
empreendedores, além de sua função de difusor de conhecimento, o programa é uma
oportunidade de transformar ideias em negócios e potencial para trazer riqueza
e realização para quem perceber este momento especial que estamos vivendo. Para
os telespectadores, além de ser atraente pelo formato de competição e de
personagens incríveis, o programa vai mostrar como todos já tiveram suas vidas
transformadas pelas startups, mesmo sem se darem conta disso”,
explica
André Lefcadito, co-criador e diretor geral do Planeta Startup.


Oportunidade de negócios

As
startups terão a oportunidade de passar por um método exclusivo, com mentoria
de Fernando Seabra, um dos
maiores nomes do empreendedorismo nacional, aprimorando e trabalhando em suas
ideias para que no final apresentem o resultado em um pitching eletrizante para um júri renomado: Amure Pinho, Dani Arruda e Tallis Gomes. “O Planeta Startup
já está causando transformações na sociedade. Os empreendedores que passam
pelo elevador já sentem esse impacto de fazer parte da nova economia. Eles
estão entendendo como podem mudar o seu dia a dia como pessoas e também de
todos que estão a sua volta. Estou muito feliz e honrado por essa experiência
especial”,
afirma Fernando Seabra.

Dinâmica

Nos
dois primeiros episódios, o conceito do Planeta Startup é apresentado e as equipes passam pelo
pitching de elevador, onde elas têm um minuto para apresentar seu negócio e
convencer os jurados a abrir a porta. Porém, sair do elevador não significa que
elas estão classificadas. Antes, elas terão que passar por uma sabatina com os
jurados. Apenas as 30 startups que forem aprovadas nesta fase entrarão no Planeta Startup.

Do
terceiro ao 12º episódio, as startups disputam, de três em três, uma vaga na
etapa final do programa. Nesta fase, as startups passam por um processo de
aceleração de cinco dias, que começa com uma apresentação inicial do seu
negócio aos jurados, que em seguida, dão uma missão do que elas precisam
aprimorar.

No
segundo dia, com mentoria de Fernando
Seabra, as startups terão a oportunidade de trabalhar em cima dos seus
negócios, contando ainda com dinâmicas especiais. No terceiro dia, as equipes
vão às ruas testar seu negócio e colher novos dados para, no quarto dia, terem
o feedback de Fernando Seabra para darem o sprint final para, no quinto
dia, realizarem o pitching para os jurados e decidir quem vai à final.

As 10 startups que chegaram até o último episódio participam de uma rodada de negócios, que decidirá as cinco melhores. As classificadas participam da prova final, onde terão que criar uma solução para um problema real de alguma comunidade. Os jurados escolhem então a grande vencedora.

Júri

Conheça os jurados do novo programa:

Amure Pinho (Divulgação)

Amure Pinho: Bastante acessível, fala a mesma língua dos participantes, é uma verdadeira enciclopédia ambulante. Um empreendedor de carteirinha, apaixonado pelo ecossistema de startups no Brasil, Amure é mentor em diversos programas de aceleração e palestrante em eventos globais. Presidente da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), investiu em mais de 20 startups e vendeu uma de suas empresas para a B2W, um dos maiores grupos de varejo no país. Um otimista do empreendedorismo no Brasil, quer mudar o país através da inovação.

Dani Arruda (Divulgação)

Dani Arruda: Uma mulher forte, culta, que sabe o que quer, onde quer chegar e que pode mudar conceitos e valores. Profissional de investimentos com ampla experiência em negociação internacional e intermediação financeira, é uma das sócias da Babel Ventures, fundo de Venture Capital liderado por mulheres no Vale do Silício. Dani é aquela que humaniza a conversa: tem uma inteligência emocional fora do comum, que vai além dos algoritmos.

Tallis Gomes (Divulgação)

Tallis Gomes: Um gênio que fez seu império ainda jovem. Empreendedor serial, é hoje uma estrela dentro do meio das startups. Quem vê o hoje bem-vestido, bem relacionado e ultra articulado Talis Gomes, não imagina que o mais jovem dos jurados tem uma grande história de superação. É o cara que veio de baixo, saiu do interior de Minas Gerais, onde morava com a avó, e foi para São Paulo transformar suas ideias em negócios. Com 14 anos, abriu seu primeiro negócio e, antes dos 30, vendeu sua empresa por R$ 1 bilhão.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais