Babi Muniz comenta semifinal do Made in Japão: “Aprontei um pouquinho”

A famosa afirma que entrou no programa pelo prêmio e para se conhecer

Publicado há 4 meses
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No episódio passado do Made in Japão, Babi Muniz teve de dizer não à amiga, Silvana Oliveira, quando sobravam apenas a mãe de Ludmilla e o humorista Gui Santana para a única vaga no novo time que a ex-panicat formava.

Amigas no confinamento da atração apresentada por Sabrina Sato, as duas passaram a ser adversárias em trios formados com mais dois homens cada, enquanto um terceiro trio foi composto só por mulheres. Na ocasião, Silvana demonstrou ter ficado chateada por ser a última a se integrar.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A esta altura, a candidata diz já sentir a pressão que a proximidade da final impõe aos que vivem os bastidores das provas malucas da gincana que conduz o programa. A revelação do vencedor do prêmio de R$ 500 mil será no dia 27 de junho, e a disputa está cada vez mais acirrada.

Nove celebridades brigam, até aqui, para ocupar as seis primeiras posições do ranking e se classificar para a semifinal. “Eu tento controlar, mas fico muito nervosa nas provas. Então, procuro pelo menos não levar essa tensão para o confinamento”, diz a ex-panicat.

O penúltimo episódio será exibido neste sábado (20), às 22h30, e Babi define a etapa como decisiva, ainda que não seja agora o momento de três pessoas do elenco deixarem a atração.

Além dela, permanecem na briga para se manter longe da zona de eliminação a influenciadora digital Silvana Oliveira, mãe da cantora Ludmilla; os atletas Richarlyson, Daniele Hypólito e Maurren Maggi; os modelos e ícones televisivos da virada do século Flávio Mendonça e Luiza Ambiel; o humorista Gui Santana; e o veterano em realities Dhomini, ex-namorado de Sabrina Sato. Veja a entrevista com a famosa.

Você é uma das pessoas mais descontraídas do programa, o que tem rendido comentários positivos do público nas redes sociais. Como dosa a diversão que o reality proporciona e a responsabilidade de lutar pelo prêmio? 

Eu entrei no programa pelo prêmio, claro, porque ele é muito bom, mas também para me conhecer melhor, para me divertir, para mostrar às pessoas quem eu sou. Acho que todo o mundo tinha essa curiosidade. E eu estou podendo mostrar o meu jeito de verdade. Eu me divirto muito estando ali naquela casa, com toda essa gincana maluca! É uma diversão com responsabilidade, porém. Eu tento controlar, mas fico muito nervosa nas provas. Então, procuro pelo menos não levar essa tensão para o confinamento e consigo, assim, mostrar mais esse meu lado da menina mais leve, boba (risos). Tem gente que se identifica bastante, fico feliz. Tento mais me divertir do que pensar na final.

Ainda assim, pudemos ver momentos de brabeza, como quando contestou o Flávio e até mesmo a Sabrina. Que coragem! (risos) Já estava acostumada a lidar com a competitividade tão de perto ou esse reality está sendo uma experiência diferente?

Sou meio brava quando acho que estou certa. E vou até o final com a minha verdade, com a minha teimosia, porque estou certa! (risos) Quando a gente fala que é família, que é amigo, eu defendo os meus até o fim! Se acho que algo não está certo, vou falar o que penso do meu jeito. Se vão gostar ou não, já não sei. Quando eu contestei o Flávio, ele não gostou. Mas eu falei que não podia esconder o que sentia só por causa de alguém. Eu tento, claro, falar de um jeito que não vá magoar nem ofender, porque tenho carinho pelas pessoas, mas quando estou na minha verdade eu vou até o fim por ela!

Neste momento da competição, como avalia os acontecimentos da casa?

A gente chegou a uma etapa bem preocupante, então, toda prova perdida, seja em grupo ou em duelo, vai mexendo mais com a gente, porque vai nos aproximando ou distanciando da final. Todo momento agora é importante. Toda prova é um instante decisivo.

Suas escolhas chegaram a ser questionadas algumas vezes, como quando tirou a Maurren da prova do salto e quando optou por puxar o Gui, e não a Silvana, para o seu grupo. O próprio Richarlyson a contestou muito na situação da Maurren! Como está sendo a convivência com essas pessoas próximas nessa nova configuração?
Babi Muniz

Quando escolhi o Richarlyson e o Gui para o meu trio foi pensando na ‘Sil’, também. Porque a gente acabaria perdendo se disputasse prova havendo três homens no outro grupo. Por pensar em mim e nela foi que escolhi o Gui. Foi para ficar mais equilibrado, igualar as forças dos grupos. E ela entendeu! Porque o antigo grupo Ninja vai se defender, a gente sempre falou que não interessaria em que grupo estivéssemos, que cuidaríamos um do outro.

O que esperar de Babi no episódio desta semana? Consegue nos adiantar alguma coisa? 

Eu fico muito nervosa nas provas e acabo dando uma atrapalhada! (risos) Mas eu posso dizer que vou lutar com toda a minha força em busca desse prêmio! Só que vocês vão ver muita presepada, ainda. Porque eu aprontei só um pouquinho, sabe? (risos)

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais