Autora de Éramos Seis diz ter chorado ao escrever a morte de Carlos: “Fiquei arrasada”

Publicado há um ano
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos próximos capítulos de Éramos Seis, trama das 18h escrita por Angela Chaves, Carlos (Danilo Mesquita), filho de Lola (Gloria Pires), morrerá ao ser atingido por um tiro durante uma manifestação contra o governo de Getúlio Vargas.

A autora do folhetim falou sobre o importante momento da história. “Lá no início eu decidi manter a morte como na versão do Silvio de Abreu e do Rubens Ewald Filho [feita para o SBT em 1994]”, disse a escritora à Patrícia Kogut.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Quando fui escrever, eu chorava, fiquei arrasada. Foi difícil até para mim assumir essa morte. Apesar da chatice do personagem, é o filho da Lola que eu mais adoro. Mas é importante para a história”, destacou a novelista.

Vale lembrar que a novela é baseada no livro homônimo escrito por Maria
José Dupré em 1943. No romance, Carlos morre na vida adulta, vítima de uma
úlcera, mesma doença que matou o pai, Júlio (Antonio Calloni).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio