ENTREVISTA

Autor de Renascer, Bruno Luperi revela o próximo vilão da novela: “Falso moralista”

Novelista deu detalhes do papel de Vladimir Brichta na próxima fase da obra

Publicado em 01/02/2024

O autor Bruno Luperi, de 36 anos, responsável pela adaptação do remake de Renascer, revelou os próximos passos da novela do horário nobre da TV Globo. Em entrevista ao podcast Papo de Novela, o escritor adiantou que em breve um novo personagem surgirá na história e herdará todo o mau-caratismo de seu pai da primeira fase da trama.

“A gente tem a figura de um bom coronel, o José Inocêncio, um cara digno, honrado e decente. E temos o Egídio (Vladimir Brichta), um coronel que não é tão bom assim. Ele fala muito com o Brasil de hoje. Nesse momento político que a gente vive, converso muito com pessoas de todas as opiniões e inclinações partidárias e não tenho nenhum problema com conservador. Tenho problema com falso moralista, que se diz conservador e, na sua intimidade, é um cara repugnante, que explora, que abusa, que trai a esposa… Isso me incomoda”, adiantou o novelista.

Bruno Luperi também conta que a palavra ‘antagonista’ acaba servindo melhor do que de fato o ‘vilão’ nas obras de seu avô Benedito Ruy Barbosa, já que eles vão construindo diversas características humanizadas ao longo da novela.

“Uma da característica dessa novela e, de uma maneira geral, da obra do meu avô, é que ela não é maniqueísta, então, nem considero o vilão, considero o antagonista, que é o cara que tem a função dramática de polarizar com o protagonista. […] Acho que o vilão maniqueísta é muito sem propósito, acho que ele fica muito vazio. Acho que ninguém está lá batendo o dedo na mesa, pensando: ‘Vou conquistar o mundo’, acho isso meio superficial. Então, acho que as pessoas vão tomando gestos de vilania e de heroí”, analisou o autor.

Ainda na entrevista, Bruno Luperi falou sobre o triângulo amoroso que mexerá com os sentimentos do público envolvendo João Pedro (Juan Paiva), José Inocêncio (Marcos Palmeira) e Mariana (Theresa Fonseca).

“Vamos ter o triângulo moroso entre pai e filho, José Inocêncio com Mariana, neto do Belarmino. E vai ter o Egídio, filho do Firmino, que volta para a região para operar esse lugar do pai. José Inocêncio assume o posto de coronel máximo, a maior patente da região, enquanto produtor de cacau inquestionável em uma época muito em baixa do produto”, entregou Bruno Luperi.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade