Autor de biografia revela negociação entre Globo e Hebe e motivo por não chegarem a acordo

Publicado em 06/06/2017

Na tarde desta terça-feira, dia 06/06, o jornalista, escritor, comentarista de rádio e TV, roteirista e autor teatral, Artur Xexéo, foi o convidado do Programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, e falou sobre o livro de sua autoria: “Hebe — A Biografia” (Best Seller, 274 páginas).

Ao longo da atração comandada por Emilio Surita, Artur Xexéo revelou algumas histórias curiosas sobre a vida da apresentadora que marcou época na TV brasileira.

“Ela morreu feliz, pois achou que estava voltando para o SBT após a briga e posterior saída da RedeTV!. Mas não deu tempo”, contou.

Questionado se o formato do Programa da Hebe, com sofá e convidados, estava desgastado, Xexéu foi enfático. “O formato não morreu, só não apareceu nenhuma substituta. A Hebe era espontânea, era a mesma pessoa atrás das câmeras e na frente delas”.

Artur Xexéo revelou ainda que Hebe Camargo chegou a negociar com Globo, mas a emissora queria um programa vespertino, gravado e com exibições aos sábados ou domingos. “Ela gostava do ao vivo e do auditório. Por isso não houve acerto”, disse.

Durante a entrevista, Xexéu disse ainda que Hebe bebia muito. “Ela gostava de vodca com suco de tomate. Todos caiam e ela se mantinha bem, não ficava de porre e se orgulhava disso”, contou.

O jornalista confirmou que após o lançamento do livro, vai ter um Musical, um filme sobre a vida da apresentadora e até uma exposição itinerante.

Ele também falou sobre assuntos polêmicos e afirmou que o jornalista Léo Dias é mentiroso. “Ele mente. Tem uma postura que diz a verdade, que apura, mas não é nada disso. Fiz a cobertura do Oscar com a Glória Pires – quando deu aquela polêmica com ela, quando ela não comentava nada. Ele disse que a Glória estava tensa por que tinha brigado comigo antes do início da cobertura. De onde ele tirou isso?”, indagou.

Ana Maria Braga se emociona ao relembrar câncer de Hebe: “Não dava para estar presente”

Ele também afirmou que o artista brasileiro que mais faz sucesso no exterior depois de Carmem Miranda foi Rodrigo Santoro. “É o mais bem sucedido no cinema no exterior. A Sonia Braga entrou bem, mas depois patinou. Ela não aconteceu”, analisou.

Assuntos relacionados: