Ator de Verão 90 fala da importância de discutir o racismo na TV

Publicado há 2 anos
Por Redação
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Orlando Caldeira, o Catraca da novela Verão 90 levantou na sua primeira cena a questão do racismo ao ser acusado de roubo injustamente após fazer um trabalho. Ter a oportunidade de discutir um tema tão importante na TV brasileira é a glória para muitos artistas. Forte defensor da representatividade na arte, Orlando não só atua, mas também dirige e produz espetáculos.

De acordo com o jornal O Dia, Orlando é cria dos palcos. Esse é o terceiro trabalho de Orlando na TV. Os outros foram duas participações em Boogie Oogie e I Love Paraisópolis. Ele está absorvendo cada minuto dessa experiência.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Verão 90: Vanessa tenta conquistar Jerônimo: “Prefere ficar babando a Patotinha”

“Tenho muito chão pela frente ainda, mas está sendo mágico fazer parte desta obra. No começo das gravações, eu estranhei um pouco, agora já estou bem mais familiarizado. A direção da novela é muito cuidadosa e isso me ajudou muito”, relata.

“É importante ressaltar que dos 30.000 jovens assassinados por ano no Brasil, 77% são negros, ou seja, a cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado. O racismo mata! E a falsa ideia da democracia racial brasileira deturpa esse entendimento que homens e mulheres negros são vítimas do racismo. Sem falar no racismo estrutural que é construído a partir de relações de opressão e poder e que contribui para a manutenção de uma sociedade racista no país. As novelas no Brasil têm uma importante função de informar, e proporcionar debates importantes na nossa sociedade. E Verão 90 está cumprindo muito bem esse papel”, avalia o ator.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais