Assim como Por Amor, relembre outras novelas que a Globo exibiu duas vezes no Vale a Pena Ver de Novo

Publicado há um ano
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Originalmente exibida entre outubro de 1997 e maio de 1998, a novela Por Amor, de Manoel Carlos, reestreou no Vale a Pena Ver de Novo da TV Globo substituindo Cordel Encantado. No entanto, a mesma faixa já havia apresentado uma reprise da novela entre julho de 2002 e janeiro de 2003. E também o Canal Viva, em 2010 e novamente em 2017. Mas a história protagonizada por Regina Duarte e Gabriela Duarte não é a primeira a ser resgatada pela Globo na sessão vespertina de reprises em mais de uma ocasião. Ademais, também não deve ser a última. Vamos relembrar os outros casos.

Ivani Ribeiro e o Vale a Pena Ver de Novo

Ivani Ribeiro foi a primeira autora a ter uma novela sua reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo em duas ocasiões. Remake de A Barba Azul, escrita para a Rede Tupi em 1974/75, A Gata Comeu foi cartaz da sessão entre fevereiro e julho de 1989. Inesperadamente, após a malsucedida exibição do interativo Você Decide à tarde, em julho de 2001 a novela foi resgatada do arquivo. Permaneceu no ar até dezembro e recuperou os índices perdidos. Sua exibição original ocorreu às 18h de abril a outubro de 1985. Na ocasião foi a novela mais vista do horário em toda a década.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Chamada para a segunda reprise de A Gata Comeu no Vale a Pena Ver de Novo, em julho de 2001.

Outras novelas de Ivani Ribeiro ganharam dois repetecos no Vale a Pena Ver de Novo. A exemplo de A Gata Comeu, foram remakes de sucesso. De março de 1973 a fevereiro de 1974, Mulheres de Areia ocupou a faixa das 20h da TV Tupi, e entre outubro de 1975 e março de 1976 foi a vez de A Viagem. E a Globo as refez, respectivamente, em 1993 e 1994, para os horários das 18h e 19h. Mulheres de Areia foi reapresentada à tarde de novembro de 1996 a abril de 1997. Posteriormente, voltou ao ar entre setembro de 2011 e março de 2012. Por sua vez, A Viagem foi reapresentada de abril a setembro de 1997 e entre fevereiro e julho de 2006.

Chamada da segunda reprise de A Viagem no Vale a Pena Ver de Novo, exibida em 2006.

2012, um ano equivocado na trajetória do Vale a Pena Ver de Novo

Logo após o término da segunda reprise de Mulheres de Areia, o Vale a Pena Ver de Novo colocou no ar em março de 2012 Chocolate Com Pimenta. A novela de Walcyr Carrasco originalmente exibida às 18h de setembro de 2003 a abril de 2004. Nada de mais, não fosse o fato de que entre julho de 2006 e janeiro de 2007 a mesma novela já houvesse sido reprisada.

Chamada da segunda reprise de Chocolate Com Pimenta no Vale a Pena Ver de Novo, exibida em 2012.

Logo após, a substituta também foi uma “rerreprise” bem precoce. Da Cor do Pecado, de João Emanuel Carneiro, fez grande sucesso em sua exibição original. Esteve em cartaz às 19h de janeiro a agosto de 2004. Por isso mesmo, não demorou muito a ser reprisada. O Vale a Pena Ver de Novo a colocou em cartaz de maio a novembro de 2007. E recorreu a ela novamente em setembro de 2012, mantendo-a no ar até fevereiro de 2013. Com efeito, era cedo para rever uma vez mais a história de amor de Preta (Taís Araújo) e Paco (Reynaldo Gianecchini). E a bonita relação do avô Afonso (Lima Duarte) com o neto Raí (Sérgio Malheiros).

Chamada da segunda reprise de Da Cor do Pecado no Vale a Pena Ver de Novo, exibida em 2012.

O Rei do Gado, a reprise dos 50 anos da Globo

O Rei do Gado, de Benedito Ruy Barbosa, foi exibida com grande sucesso no horário nobre de junho de 1996 a fevereiro de 1997. E ganhou sua primeira reprise no Vale a Pena Ver de Novo entre março e agosto de 1999. Posteriormente, como parte das comemorações dos 50 anos da TV Globo, em 2015, a novela ganhou uma nova exibição. A saber, esteve no ar nesta segunda ocasião de janeiro a agosto.

Chamada para a segunda reprise de O Rei do Gado no Vale a Pena Ver de Novo, que celebrou os 50 anos da TV Globo em 2015.

O Cravo e a Rosa, atual cartaz no Viva, já foi ar três vezes na Globo “mãe”

Atualmente no ar no Canal Viva (às 23h com exibição alternativa às 13h30), O Cravo e a Rosa, novela de Walcyr Carrasco e Mário Teixeira, alcançou grande êxito às 18h quando inédita, entre junho de 2000 e março de 2001. O Vale a Pena Ver de Novo a resgatou em janeiro de 2003, e exibiu-a até agosto. Ademais, em agosto de 2013 foi lançada uma nova reprise, exibida até janeiro de 2014.

Anjo Mau, cartaz do Vale a Pena Ver de Novo mesmo depois de figurar no Viva

E não foi o único caso, está aí Por Amor para nos confirmar, bem como O Rei do Gado. Anjo Mau, novela de Maria Adelaide Amaral baseada no original de Cassiano Gabus Mendes de 1976, foi exibida pela primeira vez entre setembro de 1997 e março de 1998. E foi cartaz do Vale a Pena Ver de Novo de agosto de 2003 a janeiro de 2004. O Canal Viva apresentou a novela em seu horário das 15h30. A saber, a exibição ocorreu entre julho de 2013 e março de 2014. E a TV Globo trouxe de volta a história de Nice (Glória Pires) uma vez mais, entre março e setembro de 2016.

Chamada da segunda reprise de Anjo Mau no Vale a Pena Ver de Novo, exibida em março de 2016.

Senhora do Destino: a força de uma matriarca nordestina faz sucesso em duas reprises

Escrita por Aguinaldo Silva e exibida de junho de 2004 a março de 2005, Senhora do Destino foi um grande sucesso. Aliás, o maior do horário nobre da TV Globo na década passada. De tal forma que ela entrou em cartaz na faixa vespertina em março de 2009. A primeira reprise foi até agosto e só durou relativamente pouco em virtude da classificação indicativa. Esta obrigou a emissora a “enxugar” a história de Maria do Carmo (Susana Vieira).

Em fevereiro de 2017, a sessão de reprises voltou a programar Senhora do Destino. O sucesso foi tanto que essa reapresentação teve bem mais capítulos do que a primeira (195 ante 123 de 2009). Foram nove meses em cartaz, até o começo de dezembro.

Por que o Vale a Pena Ver de Novo adotou a prática frequente das “rerreprises”?

Se a reprise é um meio de exibir algo com pouco ou nenhum risco de fiasco, já que geralmente o que as emissoras resgatam teve sucesso da primeira vez, a “rerreprise” é a nova oportunidade em que se recorre a algo de sucesso comprovado – agora já mais de uma vez. Some-se a isso a dificuldade da TV Globo de exibir em horário livre novelas mais “pesadas”, principalmente das 21h, e entende-se o porquê de terem sido novamente reprisadas 10 novelas em 18 anos. Ou seja, desde 2001, quando A Gata Comeu inaugurou o filão.

Além disso, nunca é demais lembrar que determinadas novelas que seriam boas opções para a sessão não podem ser reprisadas. Em virtude de falta de condições técnicas ou da inexistência da íntegra das novelas nos arquivos, principalmente produções dos anos 1970 e 1980 não podem voltar à telinha. Com efeito, existem também questões relativas a direitos autorais, conexos e de uso das trilhas sonoras. Tudo isso também contribui (embora não justifique) para a recorrência a obras já “reaproveitadas” anteriormente.

Chamada para a primeira reprise de Roque Santeiro, exibida no final da tarde em 1991.

Com efeito, estamos aqui desconsiderando o fato de determinadas novelas terem sido reprisadas pura e simplesmente, sem que importem horário ou circunstâncias. Assim, Roque Santeiro (1985/86) não conta, já que antes de figurar no Vale a Pena Ver de Novo em 2000/01 foi atração na faixa das 17h em 1991, enquanto a sessão de reprises oficial exibia Cambalacho (1986) às 13h30. Bem como as muitas reapresentações de Escrava Isaura (1976/77) entre 1977 e 1990, nenhuma delas promovida pelo Vale a Pena Ver de Novo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais