Assim como Orestes, de Por Amor, recorde outros alcoólatras das novelas

Publicado há um ano
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Orestes Greco (Paulo José) é um dos personagens que despertam mais a solidariedade e a compaixão dos espectadores de Por Amor, novela de Manoel Carlos que voltou ao ar no Vale a Pena Ver de Novo. Ex-marido de Helena (Regina Duarte), pai de Maria Eduarda (Gabriela Duarte), Orestes perdeu o casamento em virtude de seus problemas com álcool. O segundo casamento, com Lídia (Regina Braga), também enfrenta dificuldades devido às recaídas de Orestes, que disfarça o cheio de bebida com balas de hortelã, o que o denunciava ainda mais. A filha pequena Sandrinha (Cecília Dassi) ajuda e tenta compreender o pai, embora não seja imune aos vexames que os porres dele provocam. Ele é um dos muitos alcoólatras que sofrem com o vício.

O alcoolismo é um mal que atinge muitas famílias em todo o
mundo. Mais do que simples irresponsabilidade ou falta de vergonha, como não
falta quem aponte, aqueles que sofrem com o problema precisam de apoio e orientação
para superar o vício em bebida. De acordo com dados divulgados pela Organização
Mundial da Saúde, o consumo de bebidas alcoólicas pelos brasileiros maiores de
15 anos aumentou 43,5% entre 2006 e 2016. Nesse ínterim, a média aumentou de
6,2 litros para 8,9 litros per capita ao ano.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No decorrer dos anos, diversos autores-roteiristas abordaram a temática do alcoolismo em suas histórias. Alguns personagens emblemáticos das novelas tinham a dependência em álcool como componente essencial de suas trajetórias. Vamos relembrar alguns desses alcoólatras da ficção.

Helena, de Vale Tudo

Heleninha (Renata Sorrah) de Vale Tudo (Reprodução)

Com toda a certeza, essa personagem é um ícone dos alcoólatras na teledramaturgia. Renata Sorrah interpretava a filha mais velha da megera Odete Roitman (Beatriz Segall) na novela de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères exibida em 1988. Fragilizada, oprimida pela mãe com a desculpa de problemas familiares do passado, artista ainda não realizada, Helena se rendeu cada vez mais à bebida com o passar do tempo. Seu casamento com Marco Aurélio (Reginaldo Faria) terminou e rendeu o filho Thiago (Fábio Villa Verde), seu motivo para seguir em frente. Apesar das recaídas no alcoolismo motivadas pelas pressões emocionais.

Bafo-de-bode, de Tieta

Todos os habitantes da pequena Santana do Agreste conheciam o mendigo maltrapilho e malcheiroso que empesteava a rua com seu cheiro e ofendia com frases diretas e ferinas. Benvindo Sequeira viveu Bafo-de-bode, detestado especialmente pelas beatas como Perpétua (Joana Fomm), em virtude das verdades que soltava entre um soluço e outro. Ademais, seu cachorro vira-lata era seu maior amigo, e Bafo-de-bode sabia de tudo que acontecia na cidade. Um dos alcoólatras “engraçados” das novelas. A saber, Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares foram os autores da novela, baseada na obra de Jorge Amado.

Santinha, de A Indomada

O resultado de toda uma vida sendo manipulada e passada pra trás pela irmã Maria Altiva (Eva Wilma) foi o vício em álcool de Santa Maria, a Santinha (Eliane Giardini), nessa novela de Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares exibida em 1997. Com efeito, os problemas da frágil Santinha com a bebida tumultuavam o relacionamento com Richard (Flávio Galvão). Mas ao final eles enfim conseguem se acertar.

Lobato, de O Clone

Além de Mel (Débora Falabella), personagem-símbolo da luta contra as drogas nas novelas, Glória Perez também apresentou em O Clone (2001/02) o advogado Lobato (Osmar Prado). Integrante da classe média, amigo e funcionário do milionário Leônidas (Reginaldo Faria), ele havia prejudicado sua vida em família por conta das drogas e do álcool. De tal forma que vivia afastado dos filhos, agora já adultos. Só para ilustrar, eles foram interpretados na reta final da história pelos atores Caio Junqueira e Cynthia Falabella. A luta de Lobato para se manter longe dos vícios que tanto já o haviam prejudicado contrastava com a de Mel, viciada há pouco.

Santana, de Mulheres Apaixonadas

Entre os alcoólatras da teledramaturgia, uma personagem bastante lembrada pelo público é a professora Santana (Vera Holtz) de Mulheres Apaixonadas, novela de Manoel Carlos exibida em 2003. Ela dava aulas na Escola Ribeiro Alves (ERA), e travava uma luta diária contra a bebida. Até cocos verdes, para disfarçar álcool como se fosse a água da fruta, foram usados por Santana para escamotear o descontrole. Não faltou quem apelidasse aquele amigo ou parente mais afeito ao copo de “Santana” na época da novela…

Cristiano, de Celebridade

Zeca (Bruno Abrahão), filho do alcóolatra Cristiano (Alexandre Borges) em Celebridade (Divulgação/ TV Globo)

Jornalista de talento, Cristiano (Alexandre Borges) viu sua vida ruir após buscar no álcool o consolo pela morte da esposa em Celebridade (2003/04), novela de Gilberto Braga. Zeca (Brunno Abrahão), mesmo ainda criança, mostrava uma maturidade incomum para a idade e ajudava o pai como podia. Noêmia (Júlia Lemmertz), vizinha e amiga, representa para Cristiano uma ajuda a mais no combate ao vício. Além disso, era uma esperança de reconstrução da felicidade no amor. O público da novela deve se lembrar de suas cenas embaladas pelos Titãs com “Enquanto Houver Sol”.

Bira, de Páginas da Vida

A infelicidade no casamento com Carmem (Natália do Valle) e os problemas da vida profissional levavam Bira (Eduardo Lago) ao rol dos alcoólatras. Foi mais uma novela de Manoel Carlos, exibida em 2006/07. Sua filha Marina (Marjorie Estiano) e o sobrinho (Pedro Neschling) o ajudavam na luta contra o vício.

Renata, de Viver a Vida

A saber, Bárbara Paz foi a alcoólatra de Manoel Carlos da vez em 2009/10. No entanto, dessa vez a personagem tinha um problema diferente. Renata sofria de anorexia alcoólica. Ou seja, ela apresentava paranoia por emagrecimento e depressão por se sentir mal com o próprio corpo. De tal forma que substituía alimentos por álcool e vivia assim um transtorno duplo. Miguel (Mateus Solano), com quem ela vivia um relacionamento, a repreendeu repetidas vezes. E tentou ajudar como pôde.

Felipe, de Em Família

Manoel Carlos voltou aos alcoólatras naquela que até aqui foi sua última novela, em 2014. Felipe (Thiago Mendonça) era o irmão caçula da protagonista Helena (Júlia Lemmertz), filho de Chica (Natália do Valle). Médico, o rapaz encontrou desde a adolescência na bebida um meio de atingir prazer e se afirmar diante de todos. O vício prejudicava seu relacionamento com Sílvia (Bianca Rinaldi), colega de profissão. Bêbado, Felipe chega a dar um diagnóstico totalmente equivocado para um paciente menor, causando complicações e deixando-o às raias da perda do direito de clinicar.

Stella, de O Sétimo Guardião

Cena de Vanessa Giácomo em O Sétimo Guardião (Reprodução)

Os problemas de Stella (Vanessa Giácomo) com a bebida lhe são atirados à cara todos os dias pela sogra megera Mirtes (Elizabeth Savalla), na atual novela de Aguinaldo Silva que se despedirá em poucos dias da faixa das 21h. O casamento com Aranha (Paulo Rocha) também foi prejudicado pela suposta incapacidade de Stella de engravidar. De tal forma que ela se decepcionou muito ao descobrir que era Aranha quem não podia ter filhos, não ela. Com efeito, a atriz conseguiu se destacar com sua atuação cuidadosa numa novela que não disse a que veio.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais