Assim como Onde Nascem os Fortes, veja quatro novelas que também se passaram no Nordeste

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta semana, a grande estreia da Globo foi a supersérie – ou novela, como você quiser – Onde Nascem Os Fortes. De autoria de George Moura e Sérgio Goldenberg, o folhetim se passa numa fictícia cidade do Nordeste brasileiro.

Volta e meia, a Globo acaba recorrendo a região mais porreta do Brasil para passar algumas histórias. E algumas delas são inesquecíveis. Mas a emissora não é a única a usar o Nordeste em suas tramas. A Manchete, por exemplo, chegou a fazer isso algumas vezes.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Público zoa Taís Araújo em estreia de Mister Brau, diz que empreguete deixou grupo e compara com Camilla Cabello

Nesta lista, Observatório da Televisão mostra quatro novelas da TV que foram ambientadas no Nordeste e são lembradas até hoje. Veja:

1 – Tieta – Globo (1989)

Produzida entre os anos de 1989 e 1990, a “cabritinha” é lembrada até hoje e foi apresentada aos mais novos em reprise feita pelo Viva no ano passado.

Baseada na obra de Jorge Amado, a novela conta a história de Tieta do Agrestre, uma mulher que foi expulsa de sua cidade, Santana do Agrestre. Ela volta após fazer fortuna, sendo rica, poderosa e muito desejada pelos homens.

Sua abertura, uma das mais icônicas da história, é lembrada até hoje. Com Isadora Ribeiro nua, a novela é considerada uma das melhores da história.

2 – Mandacaru – Manchete (1997)

Penúltima produção da extinta Rede Manchete antes de falir, Mandacaru foi uma novela ousada para uma emissora que vivia uma situação financeira bastante difícil na época, beirando à falência.

A trama ficou praticamente um ano no ar, entrando no ar em 12 de agosto de 1997 e saindo do ar em 8 de agosto de 1998. Com 259 capítulos, o folhetim conta a história do cangaço após a morte de Lampião e Maria Bonita.

Com texto forte, grande apelo sexual e direção segura, Mandacaru até segurou a onda da Manchete. Obteve menos êxito que sua antecessora, a lendária Xica da Silva, mas conseguiu fechar com média de 8 pontos, ótimo patamar para a Manchete.  Uma pena que, após ela, Brida finalizou a emissora com chave de latão. Em 2006, a Band reprisou a novela, também com sucesso para seus padrões.

Veja também 

Âncora da Globo vira tema de festa de aniversário em Sergipe

3 – Tocaia Grande – Manchete (1995)

Mais uma novela baseada numa história de Jorge Amado – que, para quem não sabe, é o autor mais adaptado da história da TV brasileira -, Tocaia Grande foi um investimento pessoal do dono da Manchete, Adolpho Bloch, para que o canal retomasse o seu prestígio.

No início, Tocaia deu apenas 3 pontos. Pouco pra o que seu Adolpho queria, ele mudou os roteiristas e contratou Walter Avancini, diretor com grande prestigio. Pouco após fazer isso, seu Adolpho morreu, mas sua mudança deu certo.

Tocaia pavimentou o caminho para Xica da Silva e terminou dando médias de 10 pontos de Ibope, triplicando os números no horário – isso virou até mote de chamada. A receita foi o de sempre para novelas da Manchete: roteiro ágil e forte, violência e forte apelo sexual.

4 – Porto dos Milagres – Globo (2001)

Outra trama oriunda de um romance de Jorge Amado, Porto dos Milagres foi produzida em 2001 e não foi nem exatamente um grande estouro, mas também foi longe de ser um fracasso.

Com média de 45 pontos, a novela foi bem vista mas não gerava maiores repercussões. Ficou mais conhecida pelas polêmicas e pelas críticas que sofreu por retratar uma Bahia bem irreal.

Ambientada em Salvador, a novela tinha poucos atores negros no elenco. Salvador, para quem não sabe, é a cidade com maior número de negros fora do continente africano, e a Bahia, estado com a maior população negra do Brasil.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio