Após ser detonado na web, comentarista da ESPN esclarece fala considerada antivacina

"Estamos numa guerra e precisamos ser bons soldados", argumentou

Publicado em 16/10/2021 20:15
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No início da noite deste sábado (16), o comentarista dos canais da Disney especializado em ligas norte-americanas, Paulo Antunes, se desculpou por sua fala considerada antivacina. Nesta sexta (15), ele declarou que não sabe se as vacinas contra o novo coronavírus vão dar certo.

O comentarista discutia o caso do jogador de basquete Kyrie Irving, do Brooklyn Nets, que se recusou a tomar o imunizante e foi impedido de jogar. “Eu respeito, se ele não quiser tomar a vacina, não toma“, iniciou Antunes.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As pessoas precisam colocar no corpo delas o que elas sentem que é certo, se é uma vacina que vai funcionar ou não. Depende… A vacina faz mal? A gente não sabe. Porque geralmente demora muitos e muitos anos de teste para aprovar uma vacina. E foi um negócio muito rápido aqui. Então, consigo entender esse pensamento“, continuou ele.

“Agora, a NBA está obrigado os seus jogadores a tomarem a vacina. Aí é um problema, porque ele não pode jogar na NBA. Ele não quer tomar vacina? Ok, ele não vai poder jogar na NBA. Por exemplo, não pode jogar em Nova York sem ter a vacina? Como que o Brooklyn vai ter esse jogador no elenco? Não tem condição.”

“Aí ele vai ser trocado. Quem que vai pegar um jogador desses? Que vai ter que ficar fora de N jogos porque não tomou a vacina, e aquela cidade não permite. É um risco muito grande. Como você vai montar a sua equipe em volta, porque ele é uma superestrela, é o tipo de jogador que você monta a sua equipe em volta dele. Como você vai fazer isso com o Kyrie Irving? Essa é a grande questão aqui“, concluiu o comentarista, como noticiou o portal Notícias da TV.

Esclarecimento

O comentário logo repercutiu nas redes sociais e o jornalista foi alvo de inúmeras críticas. Ao ver a repercussão, Paulo esclareceu seu ponto de vista. “Na minha fala, eu fui interpretado como se eu fosse antivacina. Falei com várias pessoas, esclarecidas que respeito, e elas entenderam o que eu falei, mas tiveram a impressão que teve alguns gatilhos de discurso antivacina. Eu sou a favor da vacina, eu tomei a vacina. Tomei dia 10 de junho de 2021, a Janssen”, disse.

Eu encorajo todos a tomarem. Estamos numa guerra e precisamos ser bons soldados, todo mundo precisa lutar tomando a vacina. Eu sou pró-vacina“, garantiu o jornalista, que lamentou a interpretação de sua fala. “Tenho compaixão. Isso me incomoda profundamente. Simplesmente não é verdade. É o oposto. Achei importante vir aqui hoje e falar justamente sobre isso”, lamentou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio