Após Ariadna ser alvo de transfobia no No Limite, amigo defende: “Foi expulsa de casa aos 14 anos por ser ser quem ela é”

Ele revela que ela sempre sofreu preconceito, mas que ainda consegue ver a vida de uma perspectiva positiva

Publicado em 5/20/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ariadna Arantes virou assunto durante o episódio de terça-feira (18) de No Limite. A colega de equipe Íris Stefanelli fez um comentário sobre prostituição e que, se ela quisesse, poderia ter outras escolhas, afinal era fácil ter acesso a outras oportunidades. O que irritou não somente Ariadna, mas o publico em geral.

Quando entrou no BBB, ela também se tornou um ícone. Foi a primeira mulher trans a entrar no programa e, mesmo sendo a primeira eliminada, até hoje é lembrada por sua participação. Mas até chegar aos realities, Ariadna teve uma vida difícil, de muita privação e preconceito.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Segundo o site Gshow, seu amigo Fellipe Barcelos contou um pouco da história de vida da amiga: “Quando nos conhecemos, ela ainda trabalhava como acompanhante, porém, estava terminando os estudos para que novas oportunidades surgissem. Ela sempre acreditou que eles eram essenciais para que pudesse conseguir uma profissão regularizada”.

“A vida da Ariadna nunca foi fácil. Ela foi expulsa de casa aos 14 anos sem ter para onde ir, tudo pelo fato de ser quem ela é. Então, ela teve que aprender desde criança a como se virar no mundo e contar com a ajuda de amigos. Acho que ela está aproveitando a oportunidade de mostrar um pouco mais da sua história e tudo o que já passou“. o amigo ainda disse sobre a experiência de Ariadna no BBB: “Quando ela participou do BBB, ela era muito nova e tinha acabado de fazer a cirurgia de resignação. E, como ficou apenas uma semana no programa, não conseguiu se abrir completamente com os participantes sobre sua jornada de vida. Ontem [terça-feira, 18] ela mostrou uma triste realidade que a maioria das mulheres trans passam”.

Para finalizar ele diz que ela tenta esclarecer as pessoas ao seu redor, com muita franqueza e educação: “Por mais diferente que as opiniões sejam, ela entende, respeita, mas também mostra seu ponto de vista. Cabe a pessoa que está recebendo o conselho ou o ensinamento aceitar e respeitar as diferenças”.

A cobertura completa de No Limite você confere no Observatório da TV e em nosso canal no Youtube

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio