Após 25 anos, executivo número 1 da Globosat decide deixar Grupo Globo

Publicado há um ano
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Grupo Globo confirmou na manhã desta segunda-feira (18) que o executivo Alberto Pecegueiro deixou de comandar a Globosat, braço de TV por assinatura do Grupo Globo. Em um longo comunicado assinado por Jorge Nóbrega, presidente da Globo, a emissora afirmou que a decisão partiu do próprio executivo, que estava desde 1994 como o executivo número 1 da empresa.

Roberto Irineu Marinho, Presidente do Conselho de Administração e acionista da Globo, também assina o comunicado. Ambos exaltam a trajetória de Alberto Pecegueiro como um executivo que ajudou a solidificar o negócio de TV por assinatura no Brasil, principalmente quando ela ainda engatinhava, nos anos 1990.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“A vida profissional de Alberto se confunde com a história da TV paga no Brasil. Todos os movimentos relevantes da indústria, desde o seu nascedouro, contaram com a sua participação e liderança.  Pecegueiro implementou o nosso modelo de programação baseado em parcerias nacionais e internacionais”, afirma o comunicado.

“Além de estimular a entrada e o investimento de canais internacionais no país, teve uma atuação relevante no desenvolvimento dos produtores independentes brasileiros e em diversos outros elos da cadeia de geração de conteúdo: não é por acaso que a TV paga brasileira é a que possui mais conteúdo nacional na sua programação no mundo ocidental, fora os Estados Unidos”, conclui ele.

Segundo apurou o Observatório da Televisão, a saída de Alberto Pecegueiro já era algo esperado por conta do projeto Uma Só Globo. Seu nome não constava entre os executivos que passariam a comandar núcleos mais bem divididos e únicos, confirmado internamente pela Globo na semana passada.

Alberto Pecegueiro era um executivo polêmico do Grupo Globo

Pecegueiro sempre foi considerado um executivo brilhante, mas polêmico. Sua agressividade ao negociar contratos com operadoras de TV por assinatura foi uma grande marca. Outra foi as falas polemicas em raras aparições públicas. Ano passado, numa feira de TV paga, chegou a dizer que a Netflix “produzia muita m…”.

Leia a íntegra do comunicado da saída de Alberto Pecegueiro:

Após 25 anos à frente da Globosat, construindo a maior programadora de TV por assinatura da América Latina, o diretor-geral Alberto Pecegueiro decidiu encerrar suas atividades executivas na empresa, em janeiro de 2020.

A vida profissional de Alberto se confunde com a história da TV paga no Brasil. Todos os movimentos relevantes da indústria, desde o seu nascedouro, contaram com a sua participação e liderança.  Pecegueiro implementou o nosso modelo de programação baseado em parcerias nacionais e internacionais. Além de estimular a entrada e o investimento de canais internacionais no país, teve uma atuação relevante no desenvolvimento dos produtores independentes brasileiros e em diversos outros elos da cadeia de geração de conteúdo: não é por acaso que a TV paga brasileira é a que possui mais conteúdo nacional na sua programação no mundo ocidental, fora os Estados Unidos. A Globosat chegou a realizar parcerias com mais de 100 produtoras independentes. No esporte, os canais Globosat participam de forma significativa da cobertura esportiva dos mais importantes campeonatos nacionais e internacionais, criando também o formato pay-per-view a partir do Campeonato Brasileiro de 1998. Ao longo desses anos, os canais da Globosat e seus produtos originais receberam algumas das mais prestigiosas premiações da indústria. Tudo isso produziu a sólida liderança da Globosat, hoje com mais de 30 canais por assinatura, líder disparado de audiência no país. E conseguiu construir uma organização de 2.300 colaboradores engajados, competentes e que vibram pelo negócio. Uma equipe talentosa, que carrega a marca da informalidade e do bom humor do Alberto.

Em período mais recente, Alberto Pecegueiro participou, com sua energia e conhecimento, das reflexões e decisões sobre o futuro da Globo, tendo contribuição decisiva na formulação da nova estratégia de negócio e na discussão do nosso novo modelo organizacional, anunciado no último dia 8. Com inquestionável experiência acumulada no lançamento de canais próprios e na formação das quatro ‘joint ventures’ da qual fazemos parte – Telecine, com a Fox, MGM, Paramount e Universal; Canal Brasil, com alguns dos maiores produtores do cinema brasileiro; Universal, com o grupo Comcast/NBC Universal; além de uma empresa de conteúdos adultos com o grupo Claxson -, Alberto foi sempre o nosso olhar atento para os grandes movimentos da mídia do mundo, tendo tecido ao longo desses anos uma rica rede de relacionamentos e amizades na nossa indústria.

Será para nós uma perda não ter Alberto na equipe de liderança executiva da Globo de janeiro em diante. Mas ficamos felizes de continuar contando com  sua colaboração em outro formato, como nosso representante nos conselhos de administração das quatro ‘joint ventures’ da qual fazemos parte, e no apoio às negociações com nossos parceiros de distribuição.

Para Alberto, nossos mais sinceros agradecimentos por todos os anos de dedicação e parceria. E que esta nova etapa, que se inicia a partir do próximo ano, seja tão prazerosa quanto a que nos trouxe até aqui.

Roberto Irineu Marinho – Presidente do Conselho de Administração

Jorge Nóbrega – Presidente-executivo

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais