Antônio Maria, primeira novela da Manchete, chegava ao fim há 32 anos

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 23 de novembro de 1985, a extinta Rede Manchete exibia o último capítulo de Antônio Maria, sua primeira experiência em teledramaturgia. A trama era um remake de novela homônima exibida pela TV Tupi em 1968, e era escrita e dirigida por Geraldo Vietri, também responsável pelo texto e direção da versão original.

Antônio Maria (Sinde Felipe) é um milionário português, que foge para o Brasil para evitar a presença de sua madrasta Amália (Eugênia Melo e Castro), que é apaixonada por ele. No novo país, ele se torna motorista particular de Dr. Adalberto Dias Leme (Jorge Cherques), um rico comerciante que toca uma rede de supermercados em São Paulo. Adalberto tem duas filhas, Heloísa (Elaine Cristina) e Marina (Adriana Figueiredo), ambas apaixonadas por Antônio Maria. Mas Heloísa é noiva de Heitor de Lima (Paulo Ramos), um mau-caráter, que aplica um golpe na família e faz com que eles entrem numa decadência financeira. Assim, Antônio Maria se torna um conselheiro familiar, sempre disposto a ajudar Adalberto. O motorista chega a receber oferta para mudar de emprego, mas se mantém fiel ao patrão.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Marina investe no português, mas Antônio Maria acaba se apaixonando por Heloísa, o que faz com que ele entre na mira de Heitor, que faz de tudo para acabar com ele. Além disso, sua madrasta Amália chega ao Brasil atrás de Antônio Maria, se apresentando como esposa dele. Assim, Amália também se torna uma pedra no sapato do romance entre Antônio e Heloísa.

Apesar de contar a mesma história exibida pela TV Tupi em 1968, que trazia Sérgio Cardoso (Antônio Maria) e Aracy Balabanian (Heloísa) como protagonistas, a versão da Manchete eliminou o segredo em torno de Antônio Maria, pois deixava claro que ele era um rico português fugido. No original, o personagem principal aparecia cheio de mistérios, com todos indagando os motivos de um português culto, refinado e inteligente estar trabalhando como motorista. Já a versão da Manchete mostrou, no primeiro capítulo, a fuga de Antônio Maria de Portugal, revelando sua origem. Talvez por isso, esta segunda versão não repetiu o sucesso da novela original.

Segundo o site Teledramaturgia, esta não foi a única diferença entre as duas versões. Na nova versão, Geraldo Vietri adotou um tom mais irreverente e cômico, com uma pitada de tragédia. Além disso, o autor e diretor também investiu numa trama policial ao incluir o assassinato de Heitor, que foi morto por Maria Clara (Glória Cristal).

Antônio Maria foi a primeira novela da Rede Manchete, produzida a partir de uma parceria com a RTP – Rádio e Televisão Portuguesa. Era exibida diariamente, na faixa das 18h30. Após seu término, a faixa de novelas da Manchete foi interrompida, sendo retomada meses depois com a estreia de Dona Beija, em abril de 1986, já num horário mais avançado e apostando numa dose de emoção e erotismo, que se tornariam marcas das novelas da emissora. Esta sim fez muito sucesso, tornando-se a primeira novela bem-sucedida da emissora.

Com 126 capítulos, Antônio Maria foi reapresentada pela Manchete no final do ano seguinte, na faixa Romance da Tarde, exibida de segunda a sexta-feira, às 14h15.

Leia também:

Como Uma Onda estreava há 13 anos

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais