Antes de contrair covid-19, Agnaldo Timóteo lamentava ter sido esquecido pela televisão

O estilista Ronaldo Ésper contou detalhes sobre o cantor

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Agnaldo Timóteo (1936-2021) reclamava que foi deixado de lado pelos programas de televisão. O cantor faleceu no sábado (03), após ficar 17 dias internado em decorrência da covid-19.

O estilista Ronaldo Ésper contou, em entrevista ao portal NaTelinha, que o artista expressava sua frustação. Em um encontro que aconteceu há dois anos, Agnaldo se queixou sobre o assunto. “Eu acho que ele não tinha problema de dinheiro, não era isso. Mas essa coisa do esquecimento é muito ruim”, conta o profissional.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Ele falou ‘olha, me esqueceram, eu entendo que o lema do nosso país é esse, mas é muito estranho porque se eu estivesse nos EUA ou na Europa eu teria feito o sucesso que eu fiz e continuaria tendo, obviamente não cantando para pessoas mais jovens, mas para as mais idosas’”, relembra Ésper, sobre a reclamação do amigo.

Segundo Ronaldo, a morte de Cauby Peixoto também era motivo de tristeza para o amigo. “Quando eu cheguei no velório, só tava a Ângela e o Agnaldo, ninguém mais. Pra você ver como o público brasileiro é muito, não sei”, falou. Ele ressaltou ainda, que Timoteo era muito popular e deixou um legado para a música brasileira.

Ele deixa um legado de música popular. Esses meninos que ficam cantando esse sertanejo que não é sertanejo, eles não vão deixar esse legado do Aguinaldo que a gente chama de cafona. Você vai ver, no futuro vão lembrar do Aguinaldo, da Angela Maria e do Cauby, essa gente de hoje vai ser esquecida”, opina o amigo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio