Alexandre Borges celebra três reprises consecutivas e é homenageado por Rosamaria Murtinho

O ator se emocionou também ao relembrar Jorge Fernando

Publicado em 10/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entrevistado por Patrícia Poeta no É de Casa deste sábado (10), Alexandre Borges comemorou o fato de poder ser visto em três novelas consecutivas no Vale a Pena Ver de Novo, da Globo: Avenida Brasil, Laços de Família e Ti Ti Ti. Em todas o ator teve papel de destaque. “É uma honra. Ainda mais nesse momento que a novela é fundamental [na pandemia, como distração]. É um privilégio”, assumiu.

Nostálgico, o ator se lembrou da parceria de longa data com o saudoso diretor Jorge Fernando, que o dirigiu pela última vez em Ti Ti Ti. “Tenho uma saudade imensa dele, um ser humano, um artista… sempre fomos muito ligados”, reflete ele, que vive o divertido Jacques Leclair no folhetim.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Borges contou que ter a chance de assistir a novelas em que participou traz lembranças de sua vida como um todo. “Lembro das músicas que escolhi para personagens, o que estava vivendo naquele momento”, conta. Sobre se ver na TV, ele diz que contempla a obra como um todo, o que ela significou. “Não vou pela coisa técnica”, diz.

Veia cômica

Na maioria das vezes atuando em papeis leves e com humor, Alexandre revela que já planejava a veia cômica para sua carreira. “Não tinha ideia que teria essas oportunidades, que seria escalado para viver essas situações engraçadas. Mas encontrei Jorge Fernando, Silvio de Abreu, Denise Sarraceni…”, explica, dizendo que os diretores o ajudaram a ingressar nesse estilo.

Ao ser questionado se o humor está em primeiro lugar na escolha de aceitar papeis para TV e teatro, Alexandre justificou que gosta do conjunto da obra. “Acho que o humor tem a resposta rápida, ou é ou não é. Ou ri ou não ri. Mas tem toda uma composição”, coloca.

O artista cita figurinista de Ti Ti Ti, Marília Carneiro, que conseguiu reunir características para fornecer a veia humorística ainda maior para o personagem Jacques Leclair e atrair o público. Assim como Jorge Fernando, que o ensinou marcações de cena determinantes para a veia cômica.

Rosamaria

O ponto emocionante da entrevista foi quando Patrícia Poeta exibiu uma mensagem da atriz Rosamaria Murtinho, que contracenou com Borges em A Próxima Vítima, novela icônica de 1993. “Ele faz bem tudo o que ele faz. Mesmo fazendo o vilão e assassinando minha personagem, ele se saiu muito bem”, disse a veterana.

Com os olhos marejados, Alexandre Borges agradeceu a atriz, falou sobre o convívio tanto com ela quanto com Mauro Mendonça, marido de Rosamaria, e relembrou a trama. “Foi uma novela muito importante, já uma atriz consagrada… passa um filme na cabeça”, finalizou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio