70 anos da TV no Brasil: Câmera Record traz entrevista com Flávio Ricco

Jornalista escreveu a Biografia da Televisão Brasileira com José Armando Vannucci

Publicado há um mês
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A primeira transmissão de televisão no país ocorreu em 18 de setembro de 1950, e o Câmera Record deste domingo (20/09) marca a data com um programa especial que revela os segredos de alguns formatos que caíram no gosto do brasileiro, como os reality shows, programas de auditório e as novelas.

Especialistas no assunto e artistas que trabalharam nessas atrações analisam o porquê de tanto sucesso. O programa ainda conta como a paixão pela TV em alguns casos é transmitida de pais para filhos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ir para a roça, dormir na baia, tocar o sino… começou aquela época do ano em que o vocabulário do Brasil é dominado pelo dicionário do campo. Em poucos dias, A Fazenda 12 já se transformou em um dos fenômenos da TV em 2020.

O sucesso que tem se repetido há mais de uma década é a prova: o formato do reality show caiu mesmo no gosto do telespectador. Já é uma marca na história da TV brasileira, que completa 70 anos nesta sexta-feira. 

Flávio Ricco tornou-se a vitrine mais prestigiada sobre colunismo de televisão no Brasil (Divulgação)

Todo dia o telespectador liga, porque ele sabe que alguma coisa diferente vai acontecer ali. O telespectador gosta de ver coisas diferentes na TV“, afirma Flávio Ricco, colunista do Portal R7 e autor de Biografia da Televisão Brasileira.  

A novela da vida real conquistou a audiência, mas a ficção também segue firme nas preferências do brasileiro. Nos últimos anos, superproduções como Os Dez Mandamentos emocionaram o país. O sucesso de Jesus cruzou a fronteira e virou pico de ibope na Argentina.

Outra marca da TV brasileira presente desde os primórdios é o programa de auditório. Um tipo de produção que revelou  grandes comunicadores da TV – de Silvio Santos a Rodrigo Faro, de Flávio Cavalcanti a Gugu.

Nós não seríamos ninguém se não fossem vocês que estão aí do outro lado da telinha“, diz a atriz Sônia Lima, que teve a vida marcada pela força dos palcos. Ela foi jurada do Show de Calouros e depois seguiu com a carreira na dramaturgia.

A paixão pela telinha virou uma herança da família. Sônia foi casada com Wagner Montes, apresentador do jornalismo da Record no Rio de Janeiro, que faleceu em 2019. Famoso pelos bordões bem humorados, agora quem segue os passos dele é o filho. Wagner Montes Filho estreou como apresentador da Record TV Rio neste ano.

Cuidar de uma herança de peso também é a responsabilidade de André Lucas. Filho de Chico Anysio, ele guarda com carinhos as relíquias de um dos maiores nomes do humor no Brasil, como figurinos e um roteiro inédito. “A última coisa que ele queria fazer na vida era realizar esse sonho de levar o roteiro para o teatro e pra TV“, revela.

O programa também vasculhou os arquivos da emissora mais antiga em atividade no Brasil e exibe nesta edição especial tesouros da televisão que só a Record TV tem, como imagens de Os Insociáveis e de modelos das  primeiras câmeras usadas na emissora

Câmera Record, apresentado por Luiz Fara Monteiro, vai ao ar neste domingo (20), às 23h30.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais