Lívia Andrade detona igreja que vende álcool gel ungido por R$ 500, web aponta a Universal e ela rebate

Publicado há 8 meses
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta quinta-feira (19), a pandemia do coronavírus foi um dos assuntos do Fofocalizando. Lívia Andrade aproveitou para comentar sobre líderes religiosos que estão usando o momento delicado para tentar aumentar os lucros.

“Eu cheguei a ver que uma das igrejas está vendendo álcool gel ungido por R$ 500. Isso é real, eu vi essa imagem e estou chocada. Eu acho que nesse momento a gente tem que ter fé mesmo, independente da religião, sou a pessoa mais liberal, tenho muita fé e acho que a gente tem que fazer isso mesmo, rezar, orar, fazer prece, meditar, só que se você frequenta esse tipo de lugar, para pra pensar”, pediu a famosa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Não se deixe levar pelo desespero, por essa energia do pânico. R$ 500 num álcool gel? Pelo amor de Deus, não é hora pra isso. Usar Deus pra levar dinheiro nesse momento? Infelizmente é o que mais vai aparecer”, lamentou a comunicadora.

Alguns internautas apontaram que a artista estava se referindo à Igreja Universal, mas logo a apresentadora voltou a se manifestar no programa. “Tem gente mandando mensagem para o programa, falando de uma religião específica, eu não citei religião nenhuma aqui”, destacou Andrade.

“Aliás, é geral, tem gente vendendo banho de erva milagroso, sabonete, vela milagrosa, óleo ungido, isso é geral, não é de uma religião não. Então é pra gente ter cuidado sim, estão usando a fé das pessoas, esse momento de desespero e fragilidade. Então não vamos colocar palavra na boca das pessoas porque ninguém citou religião aqui”, disparou Lívia.

Veja:

A resposta da Igreja Universal do Reino de Deus

O Departamento de Comunicação Sociais e de Relações Institucionais da Igreja Universal do Reino de Deus enviou ao Observatório da TV uma nota oficial. No pronunciamento, o que se declara é que “trata-se de mais uma odiosa fake news lançada contra a Igreja Universal do Reino de Deus”.

Aliás, a Universal já havia divulgado um comunicado na segunda-feira (16/3) sobre o assunto, disponível aqui. Ainda na nota, a Universal declara considerar “inaceitável que uma comunicadora espalhe uma notícia falsa de modo tão irresponsável, e ajude a promover o ódio religioso.” Além disso, o texto informa que a igreja, ainda no dia de ontem, “fez chegar o inconformismo com o episódio junto à direção da emissora e aos responsáveis pelo programa Fofocalizando“. E aguardava a retratação pública da autora, que ocorreu no programa desta sexta-feira (20).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais