Todos desconfiam de Albieri em relação ao modo como encara a existência de Léo

Publicado há 10 meses
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A bomba ainda não estourou em O Clone. Mas todos que conhecem o geneticista Augusto Albieri (Juca de Oliveira) já desconfiam do modo como ele se relaciona com o afilhado Léo, filho de Deusa (Adriana Lessa). Edna (Nívea Maria) já chegou a perguntar se na verdade o próprio Albieri, seu marido, não seria o pai do garoto. Deusa desconfia da marcação cerrada que o médico faz sobre ela e a criança. Edvaldo (Roberto Bomfim) também acaba por desconfiar da paternidade do que se acredita ser um bebê de proveta. Ninguém imagina que Léo seja um clone de Lucas (Murilo Benício), fruto de uma experiência de sucesso de Albieri motivada em grande parte pela perda do afilhado preferido, Diogo (também Murilo Benício), irmão gêmeo de Lucas. Até a amizade de tantos anos com Leônidas Ferraz (Reginaldo Faria), pai dos rapazes, poderia ser abalada ante tamanho choque com a descoberta.

Sem entender muito bem como se dá uma inseminação artificial, Dona Mocinha (Ruth de Souza), a mãe de Deusa, pensa que Albieri é o pai de seu neto ao conhecê-lo. E principalmente ao ver o desvelo dele com o garoto. Todavia, a avó de Léo não tardará em reconhecer em Albieri uma ameaça à relação da filha com a criança. E chegará inclusive a tirar o neto dos braços do médico pouco sutilmente, alertando Deusa em seguida para tomar cuidado. Ela deve evitar que um dia Léo venha a menosprezá-la. Afinal, ele poderá acabar preferindo o padrinho a ela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais