Possível ida de Regina Duarte para Secretaria da Cultura divide opiniões dentro da Globo

Publicado há 10 meses
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A possível ida da atriz Regina Duarte para a Secretaria da Cultura do Governo Jair Bolsonaro é o assunto do momento dentro da Globo. Os debates se ela deveria aceitar ou não o convite se estendem, e tem que ache até boa a ideia de uma atriz veterana e que entende os anseios da classe artística virar o principal nome político da área no Governo. Mas as ressalvas são as maiores possíveis de um outro lado.

Segundo apurou a reportagem do Observatório da TV, atores e produtores que são a favor de Regina Duarte defendem sua ia dizendo que ela é “um menor dos males”. Mesmo em um Governo questionado pela classe, Regina poderia fazer algo e propor um diálogo entre a classe artística e o Presidente, que é massivamente rejeitado por essa área.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Isso poderia trazer e recuperar conquistas dos artistas, que foram retirados nos últimos meses, argumentam estes defensores. Também existe a fala de que Regina Duarte lutou pela regulamentação da profissão de ator nos anos 1970 e pela liberdade de expressão em dramaturgia no teatro e na TV, e que ela não iria contra seus colegas.

Alguns membros da classe artística, inclusive, já saíram em sua defesa. Foram os casos da produtora Paula Lavigne e do ator Ney Latorraca, que citaram justamente estes pontos positivos para se referirem a Regina. Ambas as defesas foram feitas publicamente, em entrevistas e em redes sociais.

Quem é contra Regina Duarte dentro da Globo fala em “alienação”

No entanto, quem crítica diz que Regina Duarte não participou de movimentos a favor da classe artística nos últimos 20 anos e que Regina virou uma pessoa politicamente “alienada”, vivendo em seu mundo. Também citam seu temperamento difícil durante gravações e que ela não poderia ter paciência para dialogar com quem é contra o Governo de Jair Bolsonaro.

Regina Duarte não é a pessoa mais querida dentro da Globo, e seu currículo recente mostra isto. Ela não faz novelas desde que participou brevemente de Tempo de Amar, produzida entre 2017 e 2018 para o horário das 18h. Ela também criticou em entrevistas que não vinha sendo chamada para trabalhar em tramas recentemente.

Seu contrato com a Globo é de longo prazo e ela é uma das únicas atrizes a ter tal honraria ultimamente, assim como atores do quilate de Glória Pires e Tony Ramos. Isso se deve ao seu histórico e importância na emissora, onde está desde 1969. Procurada para falar sobre o futuro de Regina Duarte, a Globo já deixou claro: se aceitar ir para o Governo, Regina terá seu vínculo com a emissora suspenso.

“A atriz Regina Duarte tem contrato vigente com a Globo e sabe que, se optar por assumir cargo público, deve pedir a suspensão de seu vínculo com a emissora, como impõe a nossa política interna, que é de conhecimento de todos os colaboradores”, afirmou a emissora carioca no comunicado, que foi lido no Jornal Nacional desta segunda-feira (20).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio