“Obsoleto, cruel e violento”, dispara Glamour Garcia sobre o mercado de trabalho para pessoas transsexuais

Publicado há um ano
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No ar em A Dona do Pedaço como Britney, a atriz Glamour Garcia, de 30 anos, faz sua estreia nas novelas. Com carreira sólida no teatro e no cinema, onde atuou em diversas peças infantis, Garcia também brilhou como a Babete na série Rua Augusta, do canal TNT, uma produção que, segundo ela, contribuiu para sua chegada ao horário nobre da Globo.

Símbolo da luta contra o preconceito em sua universidade, Glamour Garcia mobilizou em 2009 uma série de manifestações depois de ter sido vítima de um ataque homofóbico. Ela abre seu coração para o Observatório da Televisão e fala sobre o mercado de trabalho para pessoas transexuais. “Continua a mesma coisa que há dois mil anos atrás“, disparou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Formada em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), ela não poupa críticas: “Obsoleto, cruel, violento. As pessoas são muito desrespeitosas com homens e mulheres trans que estão sim em busca de trabalho e novas oportunidades. Até porque o que mais tem no Brasil são cidadãos transexuais com capacidade profissional em qualquer exercício. Infelizmente o preconceito, principalmente nesse momento em que vivemos, continua sendo um dos grandes empecilhos para os cidadãos em varias áreas de trabalho.”

Britney (Glamour Garcia) em A Dona do Pedaço (Divulgação/ TV Globo)

Em 2016, a atriz estrelou nos palcos o monólogo dramáticoSalomé, e em 2018 recebeu o prêmio de Melhor Atriz no 2º Festival de Cinema de Paranoá, por seu papel no curta Nome provisório, dirigido por Bruno Arrivabene e Victor Allencar.

Em sua cena de estreia em A Dona do Pedaço, Britney chegou a liderar os Trending Topics mundiais. Surpresa com a recepção positiva, Glaomour Garcia é só alegria. “Feliz com essa devolutiva, é muito importante pra mim não só no sentido do carinho e apoio, mas por darem força à essa representatividade e movimento. A população LGBTQI+ tem o direito de se sentir representada, eu sinto com orgulho muito grande, que, principalmente essa devolutiva tem sido muito importante pra mim“, afirmou ela, que também está nos cinemas com o filme Horácio, dirigido por Mathias Mangin e estrelado por José Celso Martinez.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais