Marina Moschen comenta situação de preconceito em Verão 90: “Hoje em dia não tem tanto espaço para esse tipo de preconceito”

Publicado há 2 anos
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A atriz Marina Moschen que atualmente interpreta a personagem Larissa, na novela Verão 90, começou sua carreira nas novelas em 2015, na primeira fase da novela Os Dez Mandamentos. Logo depois, a atriz protagonizou Malhação: Seu Lugar no Mundo, da TV Globo e foi onde começou a crescer na emissora.

Marina que afirma se entregar a seus personagens, foi vitima de uma fake news recentemente, que dizia que ela vivia um romance com a figurinista Isabela Bertazzi, mas a assessoria de imprensa da atriz negou tudo posteriormente. Em entrevista ao Observatório da Televisão, Marina Moschen falou sobre sua carreira, a novela Verão 90 e muito mais. Confira:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Caio Paduan diz que Quinzinho de Verão 90 vive numa bolha: “É mais covarde do que cruel”

Verão 90 começou a dar umas reviravoltas importantes. Qual o balanço que você faz disso tudo até agora?

“Eu acho que a história da Larissa foi apresentada agora, essas relações dela com o irmão e o noivo, agora com o Diego. Essa relação dela com o Quinzinho é uma coisa que acontece muito, não é? Quando alguém já está há muito tempo com uma pessoa, parece que está tudo certo e aí acomoda e você não questiona mais aquele relacionamento. Até que em algum momento aparece alguém, e você vê que existe algum lugar dentro de você que estava estacionado. Ela começa viver um pouco isso com o Quinzinho, mas ao mesmo tempo os dois não tem coragem de largar um ao outro. Claro que exite um carinho, um afeto, mas é bonito porque é muito comum.”

Preconceitos

Os personagens começam mexer com os preconceitos da sociedade, certo?

“Exatamente! E no caso da Larissa com o Diego, é bem legal porque mostra essa diferença, mostra todo preconceito que eles vão passar, mas eles estão juntos justamente porque eles tem valores parecidos. Eles se encontram nesse lugar, se admiram nesse lugar e juntos vão ter que passar por problemas familiares ou até entre eles mesmo para conseguir se entender. Mas acho que é uma relação que vai ser criada e vai ser bonito para o público acompanhar.”

O casal nem aconteceu ainda e já tem torcida. Como você está vendo isso?

“Acho muito bonitinho e fofo. O público gosta de casal e ainda mais nesse caso, é bom porque a gente vai acompanhando junto com o público o que vai acontecendo. Ela com o Quinzinho, logo de cara você já entende o que o público está gostando ou não. Quando vai construindo, você vai vendo que isso ou aquilo não está funcionando, mas no caso dos dois está tendo uma aceitação bem bacana.”

Racismo

É uma história dos anos 90 e fala de um assunto que ainda existe hoje, essa coisa do preconceito, do racismo. Como é isso para você?

“A história se repete, mas acho que hoje em dia a gente está muito mais atento. Acho que naquela época as pessoas aceitavam mais (o racismo), fechavam um pouco os olhos e fingiam que não estava acontecendo. Mas hoje em dia não tem tanto espaço para esse tipo de preconceito. A gente está caminhando ainda, mas estamos indo bem.”

Como você acha que vai ficar a relação da Larissa com o irmão se o relacionamento com o Diego acontecer?

“Os dois sempre se bicaram um pouco, igual qualquer relação de irmão. Mas acho que com o Diego chegando, o clima na casa ficará um pouco mais pesado em relação ao Candé. Porque ele é bem cabeça fechada, bem playboy e eles moram juntos. Então acho que ela vai ter que ralar um pouco para conseguir ficar em paz com o Candé.”

Família

Como vai ser o embate dela com a mãe?

“Quando ela souber do envolvimento dela (Larissa) com o Diego? Esse casamento dela com o Quinzinho não acontece, mas ela terá um problema familiar por questões financeiras logo em seguira. Eu acho que essa pauta vira uma grande pauta na família, não só ela e o Diego. O pai dela também vai ser descoberto porque estar mexendo com coisa que não deve, então por enquanto esse assunto com o Diego não vai ser o principal assunto entre os pais.”

O público nas redes sociais tem um carinho pela sua personagem e por você. Como você recebe esse carinho sendo uma atriz não novata, mas que está começando agora?

“Eu acho que é uma coisa que vem acontecendo desde Malhação, eu peguei uns papéis muito especiais. Foi primeiro a Luciana em Malhação, depois a Yasmim em Rock Story teve uma aceitação que eu nem esperava tanto, porque ela era uma patricinha muito mimada, mas o público comprou e gostou. Teve também a Selena que foi muito especial. Então o público foi acompanhando isso e agora com a Larissa, as pessoas já olham na expectativa de gostar dela, ainda mais pela personagem ser uma mocinha.

Eu ainda não fiz um papel feito para o público não gostar, mas tem uma vontade. Eu fico feliz, é bom para o meu trabalho e eu acho bom porque eu estou fazendo papéis de mocinhas, agora quando eu fizer uma vilã eu não sei se espero isso também.”

Traição

Larissa está aí para provar que a corna é sempre a última a saber, né?

“Eu acho que ela não queria enxergar. Parece que ela sabia que poderia rolar, ele sabia que ela poderia saber e eles meio que aceitaram isso. Eles só queriam viver aquilo que já estavam predestinados a saber.”

A gente vê você sempre mudando o cabelo para seus personagens, talvez até toparia ficar careca. Você faz tudo pelo personagem?

“Acho que sim. Em questão de cabelo e físico, se for uma coisa que eu olhe e acredite realmente vale a pena, eu estou aí. Eu escolhi trabalhar com isso e tem que estar aberto a ter mudanças, porque eu estou aqui para apresentar personagens, se eu não mudo o público está sempre me vendo e não o personagem que eu estou fazendo.”

Mudanças

Tem alguma coisa que você não teria coragem de mudar?

“Quando a gente fala de mudar, nós pensamos muito no físico e no cabelo, né? Então nessas duas partes eu acho que mudaria.”

E engordar muito?

“Eu acho que sim, acho que engordaria. Acho que até a Débora Secco já engordou.”

Você viveu os anos 90? O que você se lembra?

“Eu nasci em 96. Eu me lembro de pouca coisa, lembro muito as músicas porque as pessoas são nostálgicas. Eu lembro muito do computador, da televisão, de não ter o controle, mas muito vagamente. Agora nos cenários as vezes eu pego uma coisa ou outra que eu me lembro já ter visto.”

A crítica te influência na hora de atuar?

“Acho que não, só quando eu vejo que é alguma coisa com fundamento de fato. É válido, é muito ruim você falar que não se importa com o que está lendo, é a opinião de quem está vendo. Eu estou sempre aberta a ler e entender, mas a gente tem que saber que a internet é uma terra de ninguém, então às vezes pode ser alguém só querendo me atingir.”

Fake News

Recentemente saiu uma fake news sobre você, mas foi tudo negado pela sua assessoria. Como você recebeu isso tudo?

“A princípio eu achei até engraçado. Depois abre todo um questionamento, porque envolve a vida de tanta gente, não é só a minha. Tem uma outra pessoa que pode estar em um relacionamento. Eu acho que você tem que ter uma base do que você está falando. Não só no meu caso, tem gente que já passou por coisas mil vezes pior. A internet é realmente terra de ninguém, mas tem que saber pesar as coisas.”

*Entrevista realizada pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio