Publicidade

Em entrevista a Fábio Porchat, jogador Hulk conta como se adaptou em morar na China

Hulk e Fábio Porchat no Programa do Porchat
Publicidade

Em rápida passagem pelo Brasil, o jogador Hulk aproveitou suas curtas férias para sentar no sofá do Programa do Porchat desta quarta-feira, dia 13/06. Há 14 anos jogando em clubes profissionais, ele já soma mais de 300 gols na carreira. Além de vestir a camisa da seleção brasileira, já rodou o mundo pelo futebol.

No currículo, o atleta atuou na Rússia, onde ficou por quatro anos, no Japão, por três anos e meio, em Portugal, também por quatro anos, e, mais recentemente, na China, país em que está há dois anos e renovou contrato por mais três temporadas. No bate-papo, o convidado, que nasceu em Campina Grande, na Paraíba, fala sobre o processo de adaptação nesses lugares com relação ao frio e ao idioma, e ainda relembra a ocasião em que entrou em campo com uma temperatura recorde de -18°.

Leia também: Anitta faz maratona em programas de televisão na Argentina; Veja

Continua depois da publicidade

Hulk, que jogou pela seleção brasileira na Copa de 2014, comenta o pesadelo do fatídico 7×1 contra a Alemanha e se mostra otimista com relação ao desempenho do país no Mundial na Rússia: “Tem muita chance, tudo para ser campeão”. Mesmo não tendo sido convocado para defender o Brasil este ano, Hulk elogia o técnico Tite: “está fazendo um ótimo trabalho. Queria estar, mas com certeza os jogadores que estão são merecedores”.

Fábio Porchat também conversa com a Turma do Pagode. No palco do talk show, os artistas ainda participam de uma divertida brincadeira no quadro “Panela Velha é que Faz Música Boa”. E, aproveitando o clima de Copa, o programa exibe mais uma edição afiada do quadro “As Cumadi Explica” sobre a Rússia. Será que elas sabem tudo sobre o país da Copa?

Publicidade
© 2020 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade