Segundo Sol é tratada como produção racista por site britânico: “Ideologia do branqueamento”

Publicado há 2 anos
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após relações homoafetivas nas novelas brasileiras virarem matéria em site americano, agora foi a vez de Segundo Sol, atual trama das nove ser alvo de matéria sobre racismo em outro site estrangeiro. Uma coluna dedicada ao universo espanhol do site britânico, The Guardian, publicou uma matéria destacando a falta de negros em uma produção ambientada no estado mais negro do país, três anos após a emissora ser elogiada por Mister Brow.

Veja também: Site americano faz matéria sobre beijo gay em tramas brasileiras e destaca O Outro Lado do Paraíso

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A matéria ainda cita o cineasta e pesquisador brasileiro, Joel Zito Araújo, autor do livro e do documentário “Negação do Brasil – Negro na história das novelas brasileiras”, em sua parte que diz sobre uma forte persistência na mente dos produtores e diretores de que os afrodescendentes representam uma minoria. “A ideologia do branqueamento continua”, destacou o site.

Site The Guardian (Reprodução)

Leia Mais: As Aventuras de Poliana estreia bem e chega a picos de 18 pontos de Ibope para o SBT

Afirmando sobre um antigo debate sobre a representação de raças na televisão brasileira, o El Diário avança ainda mais no assunto e ressalta o início de ações da Inspetoria do Trabalho sobre o caso. Raças sub-representadas na televisão brasileira e em instituições reias, como empresas e governo, também foram avaliadas na matéria.

“Antes do lançamento de Segundo Sol, a Inspetoria do Trabalho brasileira publicou um relatório com recomendações a Rede Globo pedindo uma revisão na distribuição da novela”, escreveu o jornalista.

Link da matéria:  Segundo Sol, una telenovela de blancos en el Estado más negro de Brasil

+ OBSERVATÓRIO DA TELEVISÃO

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais