Publicidade

Como a Julieta de Orgulho e Paixão, relembre viúvas das novelas

Gabriela Duarte como Julieta Bittencourt em Orgulho e Paixão
Publicidade

No ar desde o dia 20 de março, Orgulho e Paixão, trama das 18h de Marcos Bernstein, possui uma personagem que está chamando a atenção do público: Julieta, mãe de Camilo (Maurício Destri), que é interpretada por Gabriela Duarte.

Desde que o marido morreu, a mulher assumiu os negócios da família e os transformou num império, passando a ser chamada de Rainha do Café. Apesar de toda riqueza, a empresária segue rancorosa pelo passado e anda numa linha dúbia, sem poder ser definida como do bem ou do mal.

Assim como Caetana, relembre personagens de novelas queridos pelo público que morreram no final

Continua depois da publicidade

Não é a primeira vez que uma viúva chama atenção num folhetim, já que essas personagens costumam sempre possuir algo inusitado na ficção e fugir da tradicional trajetória. Relembre alguns casos.

Neuta (Eliane Giardini) – América (2005)

Na trama escrita por Glória Perez, Eliane Giardini viveu a viúva Neuta, fazendeira poderosa que sofre com a perda do marido, mas que acaba se apaixonando por Dinho (Murilo Rosa), rapaz humilde e mais novo que a empresária e que aos poucos conseguiu conquistar a morena.

Vale lembrar que Neuta era tia da protagonista, Sol (Deborah Secco), e mãe de Júnior (Bruno Gagliasso), personagem que depois se revelou homossexual e teve um romance com Zeca (Erom Cordeiro), um dos funcionários de Neuta.

Neuta (Eliane Giardini) de America
Neuta (Eliane Giardini) de América (Divulgação/TV Globo)

Francisca (Lúcia Veríssimo) – Esperança (2002)

Apelidada de Francisca Mão de Ferro, a personagem do enredo de Benedito Ruy Barbosa vivida por Lúcia Veríssimo sofre uma mudança radical na trama após perder o marido, Moreira Alves (José Augusto Branco), e se tornar viúva.

Ao prometer ao falecido que jamais teria outro homem, a mulher resolve usar um figurino com peças na cor preta e passa a agir como um coronel. No meio do folhetim, descobre que Moreira teve uma filha com uma escrava e resolve abrir mão do luto e se casa novamente.

Francisca (Lucia Verissimo) de Esperanca
Francisca (Lúcia Veríssimo) de Esperança (Reprodução/TV Globo)

Perpétua (Joana Fomm) – Tieta (1989)

Irmã invejosa de Tieta (Betty Faria), Perpétua (Joana Fomm) estava sempre vestida de preto em forma de respeito ao seu marido militar que faleceu e lhe deixou dois filhos, Ricardo (Cássio Gabus Mendes) e Peto (Danton Mello).

No final da produção de Aguinaldo Silva, acaba-se descobrindo que a vilã é careca, mas se mantém o mistério sobre uma caixa que ela guarda com toda segurança. O novelista nunca revelou o que havia lá dentro, mas muitos chegaram a suspeitar que seriam as partes íntimas do finado.

Perpetua (Joana Fomm) de Tieta
Perpétua (Joana Fomm) de Tieta (Divulgação/TV Globo)

Porcina (Regina Duarte) – Roque Santeiro (1985)

A viúva que não era viúva. Assim era definida a Viúva Porcina, personagem interpretada por Regina Duarte no folhetim de Dias Gomes e Aguinaldo Silva e que é considerada uma das figuras mais icônicas da teledramaturgia brasileira.

Luis Roque Duarte (José Wilker), conhecido como Roque Santeiro, era responsável por fazer esculturas de santos na cidade fictícia de Asa Branca e falece ao defender os moradores do munícipio de alguns bandidos.

Sua esposa, Porcina, passa 17 anos acreditando estar viúva e com um novo relacionamento com Sinhozinho Malta (Lima Duarte), que a amparou após a morte do marido. Logo ela descobre que Roque está vivo, colocando a cidade em desespero, já que o local vinha lucrando com a ideia de que o homem havia se tornado um santo e a lenda gerava lucro para a região.

Viuva Porcina (Regina Duarte) de Roque Santeiro
Viúva Porcina (Regina Duarte) de Roque Santeiro (Divulgação/TV Globo)

Publicidade
© 2020 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade