Assim como Apocalipse, relembre as novelas da Record que não decolaram

Publicado há 3 anos
Por Philippe Azevedo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ainda não dá para definir Apocalipse como o atual fracasso da Record, mas a trama de Vivian de Oliveira é um bom parâmetro para relembrarmos outras produções da emissora que fracassaram na audiência.

O desempenho de Apocalipse já considerado o pior entre as novelas bíblicas da Record. O tom contemporâneo da produção parece não ter agradado o público, o que gera uma certa preocupação na direção da emissora.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Outra novela que, ainda, não é possível definir como fracasso é a atual Belaventura, que mal passa dos 7 pontos em São Paulo. Ela substituiu Escrava Mãe, que registrou excelentes índices de audiência para a Record.

Cabe lembrar que a Record já viveu, no passado, dias de glórias em sua dramaturgia. Novelas como Vidas Opostas, Escrava Isaura, Chamas da Vida, Poder Paralelo, Prova de Amor e, mais recentemente, Os Dez Mandamentos estão na lista de produções que fizeram tanto sucesso que incomodaram até a Globo.

Por outro lado, a Record, assim como a própria Globo, teve suas fases ruins em audiência. O Observatório da Televisão reuniu as novelas da emissora que não decolaram. Veja a lista abaixo:

 

Metamorphoses está entre as novelas de baixa audiência da Record (Reprodução)

Metamorphoses (2004)

Com 122 capítulos, Metamorphoses, escrita por Arlette Siaretta e Letícia Dornelles foi um verdadeiro fracasso na Record.

Com meta de 20 pontos, a produção estreou com 11 pontos de média na Grande São Paulo. Ao longo dos capítulos, a audiência simplesmente despencou, chegando ao patamar de 0,7 ponto, perdendo para o TV Fama, da Rede TV!

No geral, Metamorphoses oscilou entre 3 e 6 pontos de média na Grande São Paulo.

Além da baixa audiência, a trama foi duramente criticada pela imprensa na época.

A “Malhação” da Record não emplacou (Record)

Alta Estação (2006)

Na tentativa de pegar o público de Malhação, da Globo, a Record criava, em 2006, Alta Estação, escrita por Margareth Boury. O plano, no entanto, não saiu como o esperado.

A trama juvenil, por causa da baixa audiência, sofreu com a troca de horário intermináveis da Record. Alta Estação chegou a perder para o seriado Chaves, do SBT.

Por causa do fracasso, a Record abandonou a ideia de ter um terceiro horário de novelas.

A novela Máscaras deu início à fase ruim da Record em novelas (Divulgação/Record)

Máscaras (2012)

Escrita por Lauro César Muniz, o mesmo autor de Poder Paralelo, Máscaras também foi um produto da Record que não deu certo. Apesar do elenco contar com nomes de peso, a trama fracassou na audiência, forçando a emissora a encurtá-la.

A sua menor audiência foi de 4 pontos de média na Grande São Paulo. Nem o último capítulo da novela foi capaz de consolidar a vice-liderança – marcou 6 pontos, contra 8 do SBT.

Mas os problemas não foram só a audiência. Nos bastidores, havia uma certa tensão entre atores e autores. Ignácio Coqueiro, o até então diretor, teve de ser trocado por Edgar Miranda para agilizar a trama.

O clima estava tão pesado que o elenco divulgou uma carta aberta dizendo que a imprensa era culpada pelo baixo desempenho da produção.

Apesar de divertida, Balacobaco não convenceu o público (Divulgação/Record)

Balacobaco (2013)

Depois de Máscaras, a Record resolveu apostar em tramas mais populares. Balacobaco era considerada a salvação da emissora para reerguer os índices, porém o resultado também não foi lá essas coisas.

Assim como Máscaras, Balacobaco sofreu nas mãos da direção da Record, que trocou por diversas vezes o horário da telenovela de Gisele Joras. Isso prejudicou a média geral da trama, que fechou com 7 pontos, à frente apenas de Máscaras.

Na mesma linha de Balacobaco, Dona Xepa marcou baixos índices de audiência (Divulgação/Record)

Dona Xepa (2014)

Parecia que a Record vivia uma crise sem fim. Ao finalizar Balacobaco, a sua nova aposta era Dona Xepa, de Gustavo Reiz. Bem popularesca como sua antecessora, a trama não pegou.

Um dos atores da novela, Maurício Mattar, chegou a passar por uma situação constrangedora no canal. Ao perguntar quem assistia Dona Xepa no Programa da Tarde, ninguém da plateia levantou a mão.

A trama também não decolou e chegou alcançar apenas 3 pontos, ficando atrás da Rede Bandeirantes.

Recentemente, a Record fez uma segunda tentativa, reprisando a novela no horário da tarde, mas fracassou e a emissora simplesmente picotou a produção.

De Carlos Lombardi, Pecado Mortal não emplacou, apesar do elenco

Pecado Mortal (2015)

A onda de novelas que não deram certo não parou em Dona Xepa. Carlos Lombardi, recém-contratado da Record, trouxe à emissora uma novela mais densa.

No entanto, mesmo com todos os ingredientes de ação, mortes e suspenses, Pecado Mortal não decolou e fechou com média geral de 5,6 pontos, na terceira colocação.

Antes de Os Dez Mandamentos, a Record teve outro fracasso, Vitória (Divulgação)

Vitória (2014)

De Cristianne Fridmann, a mesma autora de Chamas da Vida e Vidas em Jogo (dois sucessos da Record), Vitória também empacou e foi a pior em audiência da autora.

A média geral foi de 5,8 pontos de média, superando apenas Alta Estação e sua antecessora Pecado Mortal.

Será que Apocalipse entra nessa lista?

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio