Publicidade

Globo integra todas as áreas e neto de Roberto Marinho deixa Esporte para assumir cargo estratégico

Emissora divulga detalhes de seu novo alto comando

Publicidade

No comando do Esporte da Globo desde 2016, Roberto Marinho Neto está deixando a gestão esportiva do Grupo Globo. Em uma nova configuração, divulgada nesta sexta-feira (8), Roberto Marinho Neto vai assumir a empresa Globo Ventures, uma espécie de joint-venture criada para que os acionistas do Grupo Globo supervisionem todo o trabalho feito.

Segundo apurou o Observatório da Televisão, a criação desta empresa faz parte da finalização do projeto Uma Só Globo, que pretendeu unir todas as áreas de atuação do Grupo Globo em uma só. A função de Roberto Marinho Neto e da Globo Ventures será convencer acionistas em investir em novos negócios no mercado.

A notícia foi dada em um grande organograma assinado por Jorge Nóbrega, presidente do Grupo Globo desde 2017. Neste comunicado, ele elogia a gestão de Roberto Marinho Neto no Esporte da Globo e o trabalho que ele fez na área desde que assumiu, usando como exemplo as coberturas das Olimpíadas de 2016 e da Copa do Mundo em 2018.

Continua depois da publicidade

“A integração do Esporte, iniciada em 2016, foi parte fundamental para chegarmos aonde estamos. Sob a liderança de Roberto Marinho Neto, fizemos história na cobertura das Olimpíadas e na Copa do Mundo, comprovando o potencial de atuarmos juntos. Com o novo modelo, Roberto Marinho Neto deixa o comando do Esporte para assumir a Globo Ventures”, diz Nóbrega.

“Ele assume com a responsabilidade sobre os investimentos diretos dos acionistas em novos negócios e em ventures, sempre mantendo uma relação constante e de proximidade e troca com a Globo. A Globo Ventures estará ligada ao Conselho Administrativo e a mim, como forma de facilitar a integração”, completou o executivo.

Integração do Grupo Globo continua em 2020

Também segundo Nóbrega, a integração do Grupo Globo vai continuar no ano que vem, mas em um novo passo. “Com a divulgação de hoje, começamos uma nova etapa de detalhamento da estrutura das áreas, com a participação das lideranças envolvidas, que assumem suas novas funções em 2020”, explica ele.

Nesta nova configuração, a Globo unificou todas as suas marcas, como TV Globo, Globosat, Som Livre, Globo.com, Globoplay e Digicorp, em um única empresa, chamada apenas Globo.

“A marca Globo como a conhecemos hoje, sinônimo de TV aberta, passa a dar nome a uma empresa nova, ampliada, integrada e orientada a novos desafios e oportunidades. Estamos transformando nossos negócios atuais e desenvolvendo novos. A experiência digital mudou muito a maneira como o público consome mídia, conteúdos e serviços, e nós mudamos junto”, explicou Jorge Nóbrega.

“O investimento que estamos fazendo em novas tecnologias e modelos de negócio não implica abandonar as nossas forças tradicionais. Nossa estratégia amplia a força da televisão, ao unir TV aberta e TV fechada às oportunidades digitais, com o consumidor no centro do negócio”, completa ele.

Nova organização da Globo começa a valer em janeiro de 2020

No comunicado, a Globo ficará organizada pela seguinte forma:

  • Canais Globo (TV Globo, gestão da rede de afiliadas e portfólio de canais de TV por assinatura). Paulo Marinhoo, que até então era diretor-geral de conteúdo e canais da Globosat, comanda a área.
  • Criação & Produção de Conteúdo (criação e produção para todas as plataformas de conteúdos de entretenimento, esporte e jornalismo) – terá o comando de Carlos Henrique Schroder, atual diretor-geral da TV Globo.
  • Produtos & Serviços Digitais (Globoplay, G1, Globoesporte.com, GShow, a home da Globo.com, Cartola e outros produtos) – será de responsabilidade de Erick Brêtas.
  • Soluções Integradas de Publicidade (venda de publicidade e monetização de inventários lineares e digitais) – O comando será de Eduardo Schaeffer.
  • Aquisição de Direitos (que cuidará da aquisição dos diretos de transmissão para produção audiovisual, principalmente em esportes e entretenimento). Essa área será comandada por Pedro Garcia.
  • Estratégia & Tecnologia (visão de longo prazo no negócio, parcerias e alinhamento estratégico para transformar a Globo em uma empresa de mediatech). O comando será de Rossana Fontenelle.
  • Marca & Comunicação – o comando será de Sergio Valente.
  • Finanças, Jurídico & Infraestrutura – área será liderada por Manuel Belmar.
  • Recursos Humanos – continuará sendo gerida por Claudia Falcão.
  • Relações Institucionais – terá liderança de Paulo Tonet.
  • Som Livre (que abrange o Sistema Globo de Rádio) – será comandada por Marcelo Soares.

Veja o comunicado na íntegra:

Publicidade
© 2020 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade